sexta-feira, 27 de julho de 2012

Trilogia Flinx, de Pamella Santos

  

  Num mundo onde os maus planejam contra a sua própria sociedade são necessários aqueles para fazer a sua proteção. Porque não os filhos dos seus líderes? Mas é claro que as divindades desejam isso, embora nem todos saibam desse futuro já planejado. 

  Helene é a princesa da sétima tribo de Flinx, Zéfiro. Uma garota sonhadora, alegre, que é vista como encrenqueira por todos e principalmente pelo seu pai e irmã. Ela não faz ideia do seu destino traçado, que sua vida se desfaria como a poeira ao sabor do vento. Até tudo virar uma grande mentira. Traição. Era o que as pessoas que amava escondiam dela. E contra sua vontade é levada para um lugar desconhecido para ser treinada como guerreira da sua tribo. Um lugar com pessoas peculiares e de personalidades diferentes que ela tem que saber lidar. A partir daí, tudo rumou para uma estrada sinuosa. 

  Mas ela se sente magoada? Errado. Ela se sente traída. Mas não deve se preocupar tanto com revanche. Não quando o passado perdido cai sobre ela desenhando linhas de um futuro tenebroso e incerto. Não quando uma criatura mata e rouba auras de pessoas mortas. Não quando seus sentimentos são tão confusos para com um estranho. E principalmente, não quando aqueles que deveriam estar trancafiados e isolados, ameaçam retornar. E esse... É o pior mal que poderia acontecer.

Prefácio


Nunca diga não para o destino. Ás vezes ele te persegue sem parar e cerca todas
as suas saídas. Teve um determinado tempo em minha vida, que ele me deixou perdida.
Por isso não importa quantas vezes você fuja ou tente enganá-lo, sempre irá acontecer,
você querendo ou não.
— Ainda não tenho certeza se é bom você fazer isso. — Disse Nana com um ar de
cansaço.
— Estou bem, não se preocupe vou resolver isso. – Eu disse tão cansada quanto ela.
— Que irá ficar bem eu sei. O problema é depois. Se isso for realmente o que
estiver acontecendo não quero nem pensar no que vem por ai.
— Olha pra mim. — Disse dirigindo o olhar para o seu rosto. Suas feições eram
preocupadas apesar de saber o quanto eu era poderosa. Seu cabelo castanho trançado
estava voando com o vento da serra. — Eu sei o que estou fazendo. Ela não irá mais fazer
isso. Não mais. – Falei com a voz entrecortada.
— É melhor esperar os outros chegarem. Tênio e Lilithy viriam com certeza. E é
bem provável que o Haniel venha com eles. Ele pode te ajudar.
— Não! Haniel não virá. – Eu disse desviando os olhos. — Ele não pode vir para
cá. Não se preocupe já disse que estou bem. — Disse voltando o olhar para ela outra vez.
— Tenho que fazer isso sozinha. Além disso, quantas vezes eu fiquei em pior situação?
— Fiz um sorriso forçado.
Nana me encarou por um tempo. Tantas coisas deviam estar passando na cabeça
da minha amiga. Foram tantas coisas até agora. Ela temia por mim. Mas ela tinha que
confiar em mim. Pelo menos hoje. Por isso me tranquilizei quando ela acenou a cabeça
concordando comigo.
— Muito bem, eu irei cuidar dos outros. Eles não devem estar muito longe daqui.
Canalize energia se acontecer algo com você, eu virei assim que puder.
— Tudo bem. Faça o mesmo. Não irei demorar muito, tenho certeza que agora isso
vai se resolver. E ela irá pagar muito caro por tudo o que fez. — A confiança
transbordava pelas minhas palavras.
— Entendido capitã. – Ela sorriu e correu serra a baixo.
E eu? Segui meu caminho em busca de resolver minha missão. Era hoje que isso
iria acabar. Tinha que acabar. Não sabem o quanto estava enganada.

-----------------------------------------------------------------------------------------

Se você gostou e quer saber mais sobre a história, clique aqui e vá para o blog, onde irá poder saber mais detalhes e quem sabe, virar um fã e acompanhar mais?

2 comentários: