quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Genoma Project


     Sinopse:
 Em um dia normal, Em um lugar normal, uma coisa totalmente normal acontece (o inferno decide subir para cá)
P.S.: ELES NÃO ERAM 
DEMÔNIOS

                                  Trecho do capitulo Um
Uma noite totalmente normal, em um mercado normal, estava ele. Uma pessoa normal, ou não, um sujeito com o cabelo bagunçado e escuro, vestindo um jaleco que ia até seus pés, o jaleco estava aberto. Apesar dessa pessoa ser estranha, estava como todas as outras...segurando um carrinho de supermercado e comprando coisas, bem, era pra ser normal. Até o mercado inteiro escutar alguns poucos gritos, perto do caixa. Todo o mercado parou pra olhar, menos o tal sujeito, ele continuava andando. aparentemente o foninho de celular que o homem usava impediu de que o mesmo escutasse o grito, depois do primeiro grito, varias pessoas viraram o mercado de ponta cabeça. Algumas viram o que aconteceu e simplesmente saíram correndo para dentro do mercado, mas o que era afinal? As musicas tocadas para entretenimento nas caixas de som mudaram seu doce tom para uma voz aterrorizada:
–T...todos...evacuem o mercado, estamos em um situação de emergência, repito, todos...AAAH!! *gritos* S....SOCORRO!!!
Tudo apenas causou mais pânico ainda...apenas uma pessoa parecia manter a calma...um sorriso sádico apareceu no rosto do jovem...fazendo o sussurrar para si mesmo:
–esperei tanto por esse dia_fala ele olhando para uma prateleira de esportes...que mostravam um taco de baseball...o qual ele pega e sem mais nem menos larga seu carrinho em qualquer lugar...andando em direção a saída do mercado...mas não era de lá que todos fugiam?...pouco tempo depois ... os gritos pararam...fazendo um incrível silencio no mercado, o que fez o jovem parar de andar...levantar o bastão de baseball...e bate-lo violentamente contra uma prateleira do mercado
–VENHAM!!! EU ESTOU AQUI!!!!_gritava em quanto batia o bastão freneticamente...derrubando vários produtos das estantes...quando de repente uma das estantes cai...não...mais precisamente é derrubada por alguém...por algo...de traz da estante saiu um homem...seus olhos eram brancos...e estava todo ensangüentado...seria o que as pessoas chamavam de zumbis...tipo aqueles que você ama mirar na cabeça e matar...só que fora do jogo resident evil...não demorou muito para mais um sorriso sádico aparecer no rosto do jovem que estava usando o jaleco...e segurando um bastão na mão
–Finalmente posso matar sem preocupações...-sai correndo em direção do suposto zumbi...se jogando no chão com um pé a frente...deslizando pelo chão liso e derrubando o monstro..._finalmente o dia chegou_fala colocando o bastão na cabeça do zumbi agora deitado...*sangue jorrando*...e olhando para o lado...na direção em que o zumbi havia derrubado a prateleira...vários outros do mesmo...e no fundo de tudo...uma garota indefesa...14 anos no máximo...chorando...desesperada obviamente...com a situação,o que faz o homem de jaleco avançar correndo dando varias rebatidas estourando a cabeça de cada um dos vivos que estavam ali...ou mortos deveria dizer...chegando na frente da menina...a mesma agradece
–o...obrigada...
–quem disse que eu te salvei?_fala o homem com uma voz fria_você foi mordida?
–n...não...-responde assustada
–não brinque comigo...não quero problemas futuros...-retruca o homem com mais um de seus sorrisos...
–eu realmente não fui mordida...
–bem...quem se importa..._fala mais uma vez com sua voz fria...estendendo sua mão para a geladeira atrás da garota..._eu estava procurando uma latinha de burn(energético) a algum tempo...bem...boa sorte garotinha_acena para ela em quanto anda com o taco de baseball na mão e 3 latinhas do energético no bolso...
–espera...onde você vai?..._a garota volta a chorar
–boa pergunta...para onde eu vou?...talvez eu va para o shopping...
–mas lá...deve ser o lugar com mais desses monstros...
–quem disse que não é isso que eu quero?...-continua andando...
–eu vou com você...
–você sabe fazer alguma coisa contra eles?-questiona o homem-se sim...você vai ser util...a proposito...sempre mires na cabeça deles...vamos logo...ache alguma coisa para usar...se não vou te deixar para trás...
A menina vai rapidamente para a sessão de limpeza...pegando uma vassoura e quebrando sua ponta de forma que ficasse afiada...e volta correndo mais rápido ainda...uma vez que o homem já começará a andar para a saída...
–E...EI...ME ESPERE_grita a menina...
–eu avisei que iria te deixar-fala o homem em quanto parecia dançar sacudindo seu bastão pra lá e pra cá...varias cabeças explodiram...literalmente fazendo chover sangue sobre o homem...varias cabeças despedaçadas estavam sobre o chão...que ja não era mais o mesmo chão liso e branco...podia estar liso...já não posso dizer o mesmo da cor...
–que merda você está fazendo...não tem medo de morrer...que tipo de pessoa é você?_fala a menina...ainda hesitando em atacar os zumbis...apenas correndo
–assim não ia ter diversão...e se eu fosse uma pessoa normal_aponta para um lado com seu bastão_estaria na mesma situação que ele..._um homem assustado de mais estava deitado no chão em quanto encarava um batalhão de zumbis...
–v...vamos salva-lo_fala a menina com um tom de quem so sairia correndo
–ele ja foi mordido...eu posso salvar ele...mas depois eu mesmo terei que mata-lo_fala em quanto continua andando_e então...você estava com algum parente aqui?
–e...eles...
–não quero saber se estão bem...fodam-se eles...você está com as chaves de algum carro?_fala fazendo a garotinha chorar...
–se você não quiser vir com alguém como eu não precisa...então...tchau..._volta a andar
–ESPERE!_grita ela ainda chorando..._qual é seu nome?
–sei lá... nunca gostei do meu nome... me chame de Stein...
Minha opinião: Você gosta de resident evil, e  highschool of the dead, você vai gostar dessa historia. É bem diferente do que já mostramos aqui no blog, mas eu realmente gostei, é aquele tipo de historia que você só sai da frente do PC depois de ler tudo (apesar do personagem principal ser um pouco sádico no inicio), bem se vocês gostaram desse trechinho clique aqui pra acompanhar .
E lembre-se “A cada review que você não deixa um autor morre” (pelo menos é o que lá diz)

bye, até a próxima.
bjoo


Nenhum comentário:

Postar um comentário