segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Garota Pesadelo de Mariana P. Calais


                     

                                                   Sinopse                      

Olá. Minha vida era pra ser perfeita, normal como de qualquer outra garota,  eu tinha sonhos que poderiam virar realidade, mas não foi bem assim, minha vida virou de cabeça pra baixo um tremendo pesadelo, e nem se eu quisesse  poderia esquecê-lo  Meu maior desejo? Vingança. Meu nome? Kettely Black. Sou sua felicidade,
 mas lembre-se  posso ser seu maior pesadelo.

                                             Prólogo
1899 Estados Unidos
-Filha como você está linda com essa roupa - Disse minha mãe adotiva.
Sorri para ela através do reflexo do espelho, e vi que seu rosto estava radiante, mas nos seus olhos havia preocupação.
-O que foi mamãe?- perguntei enquanto praticamente pulava de emoção.
-Nada é que os anos passaram tão rapidamente. -Ela hesitou por um instante-Filha eu e seu pai precisamos falar com você, e esse assunto não pode esperar mais, já estivemos adiando ele por tempo demais e você precisa sabê-lo.
-Vamos Erin, fale logo para ela. -Disse papai da porta.
-Filha quando encontramos você lá na floresta na época que você era uma recém nascida...
-Você estava com um pequeno papel  dentro do seu colar, eu e sua mãe só percebemos que era um papel quando você já estava com a gente uns 3 meses depois, Retiramos o papel do colar e lemos, mais eu e sua mãe decidimos melhor você ler ele, do que nós tentarmos explicar para você...seria mais fácil assim.-Disse papai  retirando com cuidado um papel meio amarelado do bolso.-Isso foi da sua mãe.
-Tome Kettely e leia com cuidado-Papai avisou dando o papel.
Eu pequei o papel e comecei a ler.


  Explicarei rápido já que não tenho muito tempo: eles estão atrás de mim. Porque querem você, o seu pai é um anjo muito poderoso e você herdou parte desse poder, como você é pequena e indefesa eles querem matá-la, você é uma mestiça muito poderosa, pois possui o poder das Fadas e dos Anjos, mas ser anjo tem uma desvantagem: quando alguém mata um anjo todo o poder que o anjo tinha vai para o assassino. Eu te trouxe  para o mundo dos humanos, mas o nosso mundo, o mundo dos sobrenaturais é outro, a terra é só um dos meios de ir para o nosso mundo, filha o seu pai está vivo mas ele nos abandonou, ele queria matá-la logo depois do seu nascimento , mas você tem uma avó chamada Anabett Mckenna, nossas gerações viram imortais quando o poder nasce em nós, para cada espécie e um ano diferente o das fadas é entre 17 a 21, os dos anjos é entre 19 a 37. Se uma espécie sobrenatural consegue te matar depois que o seu poder nasce, eles vão ficar com todo poder que você herdou de mim e do seu pai, eles não vão ter piedade na hora da sua morte, eles nunca têm.
Elena Black  
O resto da carta parecia que foi rasgada, e estava toda amassada, as letras erram belas, mas mesmo assim eu não acreditava nessas palavras, devia ser tudo uma mentira da minha mãe que me abandonou, tudo uma farsa, que meus pais adotivos caíram como se fosse uma armadilha.  
-Eu não acredito nisso- Falei e devolvi o papel para eles.
-Filha nos temos outra coisa para dizer também - Disse papai
-O que? –Perguntei já frustrada.
-Ouvimos o Kevin falar com um grupo de meninos sobre você, Mas eles nos viram e pararam de falar na mesma hora.-Disse mamãe
-Mamãe, papai, eu sei que vocês odeiam o Kevin mas eu estou apaixonada! Fazer o que hein? É o destino. –Falei com um sorriso sonhador.
-Não, não quero que você vá sozinha para casa dele e nós não fomos convidados. Estamos preocupados que ele possa fazer alguma coisa... Inapropriada a você minha querida. -Disse papai
-Papai.-revirei os olhos- Vou falar com o Kevin papai, fique tranqüilo- Falei não esperando uma resposta. -Mas mamãe eu estou realmente bela com esse vestido?
                                           ***
-Os meus pais vão certo?-Falei quando cheguei ao lado do Kevin.
-Eu não ia chamá-los, mas se você quiser que eu os chame assim seja. -Disse-me
-Sim, seria maravilhoso, obrigado. -Disse colocando o meu braço em volta do seu.
-Mordomo chame a Senhora e o Sr. Maxwell, enquanto eu guio a Senhorita Kettely- Disse  Kevin para o mordomo.
Kevin me levou para a carruagem, observei meus pais vindo junto com o mordomo, juntos sentamos dentro na confortável carruagem.
Chegamos  à sua casa, que mais parecia um castelo de tão grande, imaginei eu morando ali, naquela imensa casa.
Entramos, comemos, bebemos, e conversamos como se minha conversa com minha família não tivesse acontecido, então do nada o ar ficou pesando, e o relógio bateu três quando deu meia noite, fui me sentindo meio tonta as palavras da minha mãe viam distante...
-Kettely? Esta tudo bem?- mamãe perguntou
Soltei um gemido de horror quando uma dor de repente me atingiu. Era como se eu estivesse pegando fogo, não, não era assim, era como se uma faísca de fogo estivesse de algum modo dentro do meu corpo. Parecia que esse fogo aumentava tomando conta dos meus braços, das minhas pernas, meu tórax, tudo! Ate mesmo o ar que eu tentava respirar parecia fogo descendo por minha garganta. Eu gritei e gritei. Minhas mãos se balançando  freneticamente em minha frente,  o mundo parecia agora uma imensa casa de horrores, eu via um mundo com um novo ar diferente, obscuro, pegajoso, imundo, e o pior: fantasmas gritavam e tentavam me alcançar.
-Mamãe? O que esta acontecendo?-sussurrei tão baixo que quase não podia ouvir minha própria voz.
 Filha!
Não era minha mãe que me chamava, era outra pessoa, outra voz. De repente eu não estava, mas na sala de jantar do Kevin, eu estava em frente para uma mulher com lindas asas estilo borboleta.
Cuidado!
O mundo se tornou preto, e eu me senti caindo... e caindo..em um buraco sem fim, em um poço onde ficava cada vez mais fundo, onde a luz ia tornando-se um ponto no meio do nada, ate que nem um ponto de luz eu podia ver.
Quando eu acordei, eu me sentia fraca, e estava perdida, havia esquecido o meu nome... Qual era mesmo o meu nome? Ah, sim, Kettely, eu estava deitada no chão, com os braços presos, e as costas super dolorida, percebi que eu estava em cima de lindas asas... as MINHAS asas... Tão negras, com reflexos de um azul escuro. Enquanto analisava minhas asas com olhar percebi também que eu não estava com o mesmo vestido.
Olhei para onde eu estava: um porão, analisei o lugar ate que vi Kevin escorado na porta sorrindo para mim, e disse:
-Kettely, meu pequeno anjinho, acho que você vai ser a garota que vai me dar mais lucro-Ele parou e me olhou como se estivesse me avaliando. - Se você fosse um pouco mais pálida você seria perfeita, e esses cabelos pretos? Tão lindos! Teria mais vida. Você precisa é de um toque vampiresco, ou nesse caso-ele sorriu mostrando presas- de uma mordida. 

                            ***********************

Minha opinião: Essa é a primeira historia da Maah, o que nem parece, porque o universo que ela criou pra hibrida foi suuuper bem feito, a personagem principal adoro ela faz você querer saber o que ela vai fazer, e eu estou suuuuer ansiosa pelos proximos capítulos ate agora só foram dois e estou louquinha pela historia 
Então se vc gostou e quer acompanhar 
bjoos


Um comentário: