segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Garota Pesadelo de Mariana P. Calais


                     

                                                   Sinopse                      

Olá. Minha vida era pra ser perfeita, normal como de qualquer outra garota,  eu tinha sonhos que poderiam virar realidade, mas não foi bem assim, minha vida virou de cabeça pra baixo um tremendo pesadelo, e nem se eu quisesse  poderia esquecê-lo  Meu maior desejo? Vingança. Meu nome? Kettely Black. Sou sua felicidade,
 mas lembre-se  posso ser seu maior pesadelo.

                                             Prólogo
1899 Estados Unidos
-Filha como você está linda com essa roupa - Disse minha mãe adotiva.
Sorri para ela através do reflexo do espelho, e vi que seu rosto estava radiante, mas nos seus olhos havia preocupação.
-O que foi mamãe?- perguntei enquanto praticamente pulava de emoção.
-Nada é que os anos passaram tão rapidamente. -Ela hesitou por um instante-Filha eu e seu pai precisamos falar com você, e esse assunto não pode esperar mais, já estivemos adiando ele por tempo demais e você precisa sabê-lo.
-Vamos Erin, fale logo para ela. -Disse papai da porta.
-Filha quando encontramos você lá na floresta na época que você era uma recém nascida...
-Você estava com um pequeno papel  dentro do seu colar, eu e sua mãe só percebemos que era um papel quando você já estava com a gente uns 3 meses depois, Retiramos o papel do colar e lemos, mais eu e sua mãe decidimos melhor você ler ele, do que nós tentarmos explicar para você...seria mais fácil assim.-Disse papai  retirando com cuidado um papel meio amarelado do bolso.-Isso foi da sua mãe.
-Tome Kettely e leia com cuidado-Papai avisou dando o papel.
Eu pequei o papel e comecei a ler.


  Explicarei rápido já que não tenho muito tempo: eles estão atrás de mim. Porque querem você, o seu pai é um anjo muito poderoso e você herdou parte desse poder, como você é pequena e indefesa eles querem matá-la, você é uma mestiça muito poderosa, pois possui o poder das Fadas e dos Anjos, mas ser anjo tem uma desvantagem: quando alguém mata um anjo todo o poder que o anjo tinha vai para o assassino. Eu te trouxe  para o mundo dos humanos, mas o nosso mundo, o mundo dos sobrenaturais é outro, a terra é só um dos meios de ir para o nosso mundo, filha o seu pai está vivo mas ele nos abandonou, ele queria matá-la logo depois do seu nascimento , mas você tem uma avó chamada Anabett Mckenna, nossas gerações viram imortais quando o poder nasce em nós, para cada espécie e um ano diferente o das fadas é entre 17 a 21, os dos anjos é entre 19 a 37. Se uma espécie sobrenatural consegue te matar depois que o seu poder nasce, eles vão ficar com todo poder que você herdou de mim e do seu pai, eles não vão ter piedade na hora da sua morte, eles nunca têm.
Elena Black  
O resto da carta parecia que foi rasgada, e estava toda amassada, as letras erram belas, mas mesmo assim eu não acreditava nessas palavras, devia ser tudo uma mentira da minha mãe que me abandonou, tudo uma farsa, que meus pais adotivos caíram como se fosse uma armadilha.  
-Eu não acredito nisso- Falei e devolvi o papel para eles.
-Filha nos temos outra coisa para dizer também - Disse papai
-O que? –Perguntei já frustrada.
-Ouvimos o Kevin falar com um grupo de meninos sobre você, Mas eles nos viram e pararam de falar na mesma hora.-Disse mamãe
-Mamãe, papai, eu sei que vocês odeiam o Kevin mas eu estou apaixonada! Fazer o que hein? É o destino. –Falei com um sorriso sonhador.
-Não, não quero que você vá sozinha para casa dele e nós não fomos convidados. Estamos preocupados que ele possa fazer alguma coisa... Inapropriada a você minha querida. -Disse papai
-Papai.-revirei os olhos- Vou falar com o Kevin papai, fique tranqüilo- Falei não esperando uma resposta. -Mas mamãe eu estou realmente bela com esse vestido?
                                           ***
-Os meus pais vão certo?-Falei quando cheguei ao lado do Kevin.
-Eu não ia chamá-los, mas se você quiser que eu os chame assim seja. -Disse-me
-Sim, seria maravilhoso, obrigado. -Disse colocando o meu braço em volta do seu.
-Mordomo chame a Senhora e o Sr. Maxwell, enquanto eu guio a Senhorita Kettely- Disse  Kevin para o mordomo.
Kevin me levou para a carruagem, observei meus pais vindo junto com o mordomo, juntos sentamos dentro na confortável carruagem.
Chegamos  à sua casa, que mais parecia um castelo de tão grande, imaginei eu morando ali, naquela imensa casa.
Entramos, comemos, bebemos, e conversamos como se minha conversa com minha família não tivesse acontecido, então do nada o ar ficou pesando, e o relógio bateu três quando deu meia noite, fui me sentindo meio tonta as palavras da minha mãe viam distante...
-Kettely? Esta tudo bem?- mamãe perguntou
Soltei um gemido de horror quando uma dor de repente me atingiu. Era como se eu estivesse pegando fogo, não, não era assim, era como se uma faísca de fogo estivesse de algum modo dentro do meu corpo. Parecia que esse fogo aumentava tomando conta dos meus braços, das minhas pernas, meu tórax, tudo! Ate mesmo o ar que eu tentava respirar parecia fogo descendo por minha garganta. Eu gritei e gritei. Minhas mãos se balançando  freneticamente em minha frente,  o mundo parecia agora uma imensa casa de horrores, eu via um mundo com um novo ar diferente, obscuro, pegajoso, imundo, e o pior: fantasmas gritavam e tentavam me alcançar.
-Mamãe? O que esta acontecendo?-sussurrei tão baixo que quase não podia ouvir minha própria voz.
 Filha!
Não era minha mãe que me chamava, era outra pessoa, outra voz. De repente eu não estava, mas na sala de jantar do Kevin, eu estava em frente para uma mulher com lindas asas estilo borboleta.
Cuidado!
O mundo se tornou preto, e eu me senti caindo... e caindo..em um buraco sem fim, em um poço onde ficava cada vez mais fundo, onde a luz ia tornando-se um ponto no meio do nada, ate que nem um ponto de luz eu podia ver.
Quando eu acordei, eu me sentia fraca, e estava perdida, havia esquecido o meu nome... Qual era mesmo o meu nome? Ah, sim, Kettely, eu estava deitada no chão, com os braços presos, e as costas super dolorida, percebi que eu estava em cima de lindas asas... as MINHAS asas... Tão negras, com reflexos de um azul escuro. Enquanto analisava minhas asas com olhar percebi também que eu não estava com o mesmo vestido.
Olhei para onde eu estava: um porão, analisei o lugar ate que vi Kevin escorado na porta sorrindo para mim, e disse:
-Kettely, meu pequeno anjinho, acho que você vai ser a garota que vai me dar mais lucro-Ele parou e me olhou como se estivesse me avaliando. - Se você fosse um pouco mais pálida você seria perfeita, e esses cabelos pretos? Tão lindos! Teria mais vida. Você precisa é de um toque vampiresco, ou nesse caso-ele sorriu mostrando presas- de uma mordida. 

                            ***********************

Minha opinião: Essa é a primeira historia da Maah, o que nem parece, porque o universo que ela criou pra hibrida foi suuuper bem feito, a personagem principal adoro ela faz você querer saber o que ela vai fazer, e eu estou suuuuer ansiosa pelos proximos capítulos ate agora só foram dois e estou louquinha pela historia 
Então se vc gostou e quer acompanhar 
bjoos


terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Mysticum de "Nymphadora"

Sinopse: Até onde você iria se descobrisse que pode? Que pode mais?
Ela não sabia. Mas vai ter que aprender.
Prólogo
Eu não sabia o que estava fazendo ali, de qualquer jeito. Não me surpreendeu nem um pouco que no mínimo segundo que me restava, eu estava pensando no quanto eu era idiota. Porque eu deveria saber, ou sabia – não é como se fizesse muita diferença naquele ponto – que não deveria ter me metido com aquela garota.
Ela me olhava, como se avaliasse meu próximo passo. E eu não duvidava nada disso. Parada, com os cabelos cor de cobre completamente inchados e os olhos chocolate distorcidos de fúria, ela podia ser mais alta do que eu. Ela parecia mais alta do que eu, mesmo que na verdade não tivesse mais de um metro e meio. Uma onda de poder irradiou dela, e observei seu rosto enquanto se formava um meio sorriso cheio de um sarcasmo doentio.
Não importavam quantas eu já tivesse enfrentado, nem quantos. Não importavam quantas vezes eu já tivesse combatido o sobrenatural, ou o que todos ao meu redor chamam de lendas. Não valia de nada tudo o que ouvi nos últimos meses.
Nada me preparara para aquilo.

                                     Trecho do Capitulo Um


Eu estava fora da cidade há cinco anos. Pensei que reconheceria até o cheiro do lugar, que minha casa seria a mesma e que as pessoas... bem, seriam as pessoas.
Mas quando minha prima virou para me olhar e dizer “Chegamos!” eu estava pensando que era só mais uma escala. Absolutamente nada estava como eu me lembrava. Tudo estava mais arrumado, mais bonito, até mais charmoso. As pessoas que eu via nas ruas, que certamente deveriam ser conhecidas, não pareciam olhar para mim com familiaridade.
Me assustei e me encolhi no banco do carona quando vi a que era minha melhor amiga me olhar com desdém. Ela não deveria saber que era eu, mas desde quando olhava as pessoas assim? Eu devia estar ficando doida mesmo. Eu tinha oito anos quando fui embora, então já saberia se ela fosse ter uma inclinação para o mal. E não me pareceu nada disso naquela época.
– Vamos fazer uma parada. – ela avisou.
Ramonna parou o carro na frente da loja da operadora local, que eu nunca tinha visto antes. Alguns celulares estavam em exposição e vários planos estavam nas vitrines também, e se não fosse por isso, eu não perceberia que era a loja de uma operadora. Resolvi não ficar no carro, para não dar uma de anti-social. Ela provavelmente acharia melhor assim. Reconheci – bem, quase reconheci – a garota atrás do caixa. Tinha cabelos cor de bronze e sorria de um lado ao outro da orelha enquanto falava ao telefone. Quando nos viu murmurou alguma coisa que não devíamos ouvir – mas que eu acho que Ramonna ouviu – e deu um “tchau” apressado antes de desligar – provavelmente na cara da pessoa – o aparelho.
– Oi! Ramonna, não é?
– Sim, sim. Você é Katie, estou certa?
– É, é – ela disse indicando com um gesto da mão livre o crachá preso ao avental preto por cima do vestido azul que usava, que tinha seu nome gravado.
– Ah, não, não foi por isso! – Ramonna deu uma risada – Me lembro de você. Ia todos os dias ao parque.
– Ah, sim. Isso... – ela deu um sorriso sem graça – É mesmo. Mas eles fecharam o parque. Problemas com a montanha russa. – Ramonna se afastou um pouco da bancada, assustada.
– Alguém se machucou? – perguntou.

                                         *********************
Ah personagem principal é bem legal, e o mocinho é irresistivel ♥ 
Esse livro lembra  "A Mediadora" da diwa Meg Cabot, e eu recomendo a todos.

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Dominantie- Saga Predadora de Carol Rezende


"Ela tem o corpo de mulher. Mas só o corpo. 
Porque sua alma é predadora.
E ela está pronta pra te devorar."


Saga Predadora Vol I - Dominantie

Num futuro onde os mitos não existem, Elisabeth Bohan é obrigada a fugir. 
Depois de ter sido atacada por um desconhecido há três anos, sua vida nunca mais foi a mesma. 
Ela via melhor. Ouvia sons a quilômetros de distância. E sentia um apetite brutal por carne humana. Em suas caminhadas desesperadas, ela aprendeu várias coisas sobre a Sociedade aparentemente perfeita da Nova Ordem. Coisas que nunca havia aprendido em seus livros de escola. Mas, quando encontra ocasionalmente com o misterioso Zack Newcasttle e seu povo, ela recebe um chamado difícil de recusar: Tornar-se a Dominant de Andromeda e libertá-los da opressão de sua sociedade tão corrupta. 
Mas para isso desafios deverão ser aceitos, inimizades não poderão ser ignoradas e o amor deverá ser totalmente esquecido. 
Será que Elisabeth e sua predadora interior sempre faminta aceitará plenamente o desafio?


Trecho do primeiro capítulo:

     “ Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças” Charles Darwin.


A predadora está a solta nas ruas da hexagon mais uma vez.
Quem a visse a primeira vista não acharia que ela é perigosa. Seus cabelos longos escondem sua expressão sombria, transformando-a em uma verdadeira desconhecida.
Ela respira fundo e sentiu o cheiro que carne quente entrando em suas narinas, despertando seu apetite. Rapidamente, ela esconde-se dentro do beco e espera.
A dona daquele cheiro é uma garota pequena e aparentemente indefesa, que tem uma postura encolhida enquanto caminha rapidamente pela calçada.
E aquilo representa superioridade para o monstro que admira a cena.
Quando a presa aproxima-se da predadora, ela sai de seu esconderijo estrategicamente atacando sua vítima.
- Socor... - Aterrorizada ao ver os olhos brilhantes da fera, a garota grita a plenos pulmões e debate-se debilmente em virtude do peso de sua agressora.
Sem misericórdia, no entanto, a predadora segura a cabeça da vitima com a mão livre e bate contra o chão frio. Os olhos dela não se fecham, mas a parada repentina de seu coração indica sua morte. 
 
 
Gostaram? Se quiserem ler mais é só ir ao blog da história clicando aqui


sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Nyah! Fanfiction

Oii, como vocês estão?
Venho aqui hoje para mostrar direito  á vocês,  esse site incrível, que eu descobri a algum tempo, nele você posta as suas historias, e ele aparece numa coluna na lateral do site (para  todos que estiverem online nessa hora verem) junto com as historias mais recentes, e também na aba "Recentes". Então é um (pelo menos eu acho) uma ótima maneira de divulgar suas historias, as historias postadas lá são chamadas de fics, outra coisa bem legal lá são as categorias :

Tem sobre bandas, animes/mangá, filmes, cartoons e etc, essas categorias são realmente fanfics, mas se for uma historia que você mesmo criou é para a categoria dos Originais, têm historias com diversos gêneros sim lá você também pode escolher os gêneros,  as fics de lá são  muito boas, e eu indico super esse site. Também há uma pagina com "Dicas para escrever bem", elas são realmente bem uteis (aconselho vcs a darem uma olhada).
Acho que é só isso.
beijoos  até mais 

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Site: O Nerd Escritor

Aqui venho eu,novamente,trazer algo para que os escritores de plantão possam aproveitar e evoluir ainda mais. Pessoalmente acho esse site incrível , e sempre que tenho tempo dou uma passada para ler os textos de variadas autorias.
Você não apenas encontrará histórias,como resenhas,noticias e discussões envolvendo a leitura,tudo em um mesmo espaço. Muito conveniente não?
Então para você que além de passar o tempo,quer divulgar sua história,basta acessar o site clicando aqui e se registrar - se quiser fazer isso logo,clique aqui -  e logo será mais um "nerd escritor" *-*
Espero que tenham gostado da dica.

Cherry Kisses,

Vicky

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Genoma Project


     Sinopse:
 Em um dia normal, Em um lugar normal, uma coisa totalmente normal acontece (o inferno decide subir para cá)
P.S.: ELES NÃO ERAM 
DEMÔNIOS

                                  Trecho do capitulo Um
Uma noite totalmente normal, em um mercado normal, estava ele. Uma pessoa normal, ou não, um sujeito com o cabelo bagunçado e escuro, vestindo um jaleco que ia até seus pés, o jaleco estava aberto. Apesar dessa pessoa ser estranha, estava como todas as outras...segurando um carrinho de supermercado e comprando coisas, bem, era pra ser normal. Até o mercado inteiro escutar alguns poucos gritos, perto do caixa. Todo o mercado parou pra olhar, menos o tal sujeito, ele continuava andando. aparentemente o foninho de celular que o homem usava impediu de que o mesmo escutasse o grito, depois do primeiro grito, varias pessoas viraram o mercado de ponta cabeça. Algumas viram o que aconteceu e simplesmente saíram correndo para dentro do mercado, mas o que era afinal? As musicas tocadas para entretenimento nas caixas de som mudaram seu doce tom para uma voz aterrorizada:
–T...todos...evacuem o mercado, estamos em um situação de emergência, repito, todos...AAAH!! *gritos* S....SOCORRO!!!
Tudo apenas causou mais pânico ainda...apenas uma pessoa parecia manter a calma...um sorriso sádico apareceu no rosto do jovem...fazendo o sussurrar para si mesmo:
–esperei tanto por esse dia_fala ele olhando para uma prateleira de esportes...que mostravam um taco de baseball...o qual ele pega e sem mais nem menos larga seu carrinho em qualquer lugar...andando em direção a saída do mercado...mas não era de lá que todos fugiam?...pouco tempo depois ... os gritos pararam...fazendo um incrível silencio no mercado, o que fez o jovem parar de andar...levantar o bastão de baseball...e bate-lo violentamente contra uma prateleira do mercado
–VENHAM!!! EU ESTOU AQUI!!!!_gritava em quanto batia o bastão freneticamente...derrubando vários produtos das estantes...quando de repente uma das estantes cai...não...mais precisamente é derrubada por alguém...por algo...de traz da estante saiu um homem...seus olhos eram brancos...e estava todo ensangüentado...seria o que as pessoas chamavam de zumbis...tipo aqueles que você ama mirar na cabeça e matar...só que fora do jogo resident evil...não demorou muito para mais um sorriso sádico aparecer no rosto do jovem que estava usando o jaleco...e segurando um bastão na mão
–Finalmente posso matar sem preocupações...-sai correndo em direção do suposto zumbi...se jogando no chão com um pé a frente...deslizando pelo chão liso e derrubando o monstro..._finalmente o dia chegou_fala colocando o bastão na cabeça do zumbi agora deitado...*sangue jorrando*...e olhando para o lado...na direção em que o zumbi havia derrubado a prateleira...vários outros do mesmo...e no fundo de tudo...uma garota indefesa...14 anos no máximo...chorando...desesperada obviamente...com a situação,o que faz o homem de jaleco avançar correndo dando varias rebatidas estourando a cabeça de cada um dos vivos que estavam ali...ou mortos deveria dizer...chegando na frente da menina...a mesma agradece
–o...obrigada...
–quem disse que eu te salvei?_fala o homem com uma voz fria_você foi mordida?
–n...não...-responde assustada
–não brinque comigo...não quero problemas futuros...-retruca o homem com mais um de seus sorrisos...
–eu realmente não fui mordida...
–bem...quem se importa..._fala mais uma vez com sua voz fria...estendendo sua mão para a geladeira atrás da garota..._eu estava procurando uma latinha de burn(energético) a algum tempo...bem...boa sorte garotinha_acena para ela em quanto anda com o taco de baseball na mão e 3 latinhas do energético no bolso...
–espera...onde você vai?..._a garota volta a chorar
–boa pergunta...para onde eu vou?...talvez eu va para o shopping...
–mas lá...deve ser o lugar com mais desses monstros...
–quem disse que não é isso que eu quero?...-continua andando...
–eu vou com você...
–você sabe fazer alguma coisa contra eles?-questiona o homem-se sim...você vai ser util...a proposito...sempre mires na cabeça deles...vamos logo...ache alguma coisa para usar...se não vou te deixar para trás...
A menina vai rapidamente para a sessão de limpeza...pegando uma vassoura e quebrando sua ponta de forma que ficasse afiada...e volta correndo mais rápido ainda...uma vez que o homem já começará a andar para a saída...
–E...EI...ME ESPERE_grita a menina...
–eu avisei que iria te deixar-fala o homem em quanto parecia dançar sacudindo seu bastão pra lá e pra cá...varias cabeças explodiram...literalmente fazendo chover sangue sobre o homem...varias cabeças despedaçadas estavam sobre o chão...que ja não era mais o mesmo chão liso e branco...podia estar liso...já não posso dizer o mesmo da cor...
–que merda você está fazendo...não tem medo de morrer...que tipo de pessoa é você?_fala a menina...ainda hesitando em atacar os zumbis...apenas correndo
–assim não ia ter diversão...e se eu fosse uma pessoa normal_aponta para um lado com seu bastão_estaria na mesma situação que ele..._um homem assustado de mais estava deitado no chão em quanto encarava um batalhão de zumbis...
–v...vamos salva-lo_fala a menina com um tom de quem so sairia correndo
–ele ja foi mordido...eu posso salvar ele...mas depois eu mesmo terei que mata-lo_fala em quanto continua andando_e então...você estava com algum parente aqui?
–e...eles...
–não quero saber se estão bem...fodam-se eles...você está com as chaves de algum carro?_fala fazendo a garotinha chorar...
–se você não quiser vir com alguém como eu não precisa...então...tchau..._volta a andar
–ESPERE!_grita ela ainda chorando..._qual é seu nome?
–sei lá... nunca gostei do meu nome... me chame de Stein...
Minha opinião: Você gosta de resident evil, e  highschool of the dead, você vai gostar dessa historia. É bem diferente do que já mostramos aqui no blog, mas eu realmente gostei, é aquele tipo de historia que você só sai da frente do PC depois de ler tudo (apesar do personagem principal ser um pouco sádico no inicio), bem se vocês gostaram desse trechinho clique aqui pra acompanhar .
E lembre-se “A cada review que você não deixa um autor morre” (pelo menos é o que lá diz)

bye, até a próxima.
bjoo