terça-feira, 9 de outubro de 2012

A Invisibilidade dos Candidatos a Escritores

Uma das minhas amigas blogueiras postou em uma rede social um link de um post que eu realmente adorei do Blog do Escritor. E vim repassá-lo aqui, achei super bem escrito, lá tem muitos outros artigos legais que poderão ajudá-lo, mas então, confiram:

O Muro de Indiferença, ou a invisibilidade dos candidatos a escritores


Você teve uma ideia brilhante para um livro? Gastou os últimos meses, ou talvez anos, desenvolvendo-a e pondo-a no papel? Sua obra está pronta e agora só falta publicá-la?

É neste ponto que o sonho de ser um escritor converte-se em pesadelo, ou melhor, é quando a realidade se mostra em sua mais crua e angustiante forma: qualquer um pode escrever um livro, mas não é qualquer um que poderá publicá-lo comercialmente.

A proliferação do talento

Até pouco tempo atrás, a ­escrita, ou pelo menos a escrita enquanto ­profissão, era uma tarefa para poucos ­afortunados.

Não era todo o mundo que tinha acesso a educação de qualidade, nem o domínio técnico da escrita para produzir bons livros. Assim como em outras atividades artísticas – nas artes plásticas, na fotografia, na dança, na música e no cinema – era necessário muito tempo de estudo e prática para se consolidar numa carreira, além de ter de estar no lugar certo, relacionando-se com as pessoas certas.

Inclusive, a quantidade de livros escritos, peças de teatro, filmes, canções, fotografias, etc., era muito inferior, apesar de já ser num volume muito maior do que qualquer ser humano pudesse assimilar.

O fato é que, da década de 80 para cá, publicou-se mais livros do que nos cinco séculos precedentes, ­quando ­Johannes Gutenberg inventou a ­imprensa.

A primeira constatação a partir desta explosão criativa foi que talento artístico não é uma exclusividade de uns poucos gênios.

Todavia, a segunda descoberta é que sempre haverá muito mais lixo do que obras de qualidade, pois nem todos que pensam ter algum talento o têm de fato, ou, o que é pior, às vezes um escritor talentoso acaba desperdiçando seu potencial em projetos ruins, somente na intenção de ganhar dinheiro ou ficar famoso.

Sonhos Perfeitos, de Mattheus Santos

Estava eu lá, procurando o que postar aqui porque vocês merecem posts, e achei esse blog desse livro e achei interessante pelo que vi, apesar de não ter lançado nenhum capitulo e nenhuma capa oficial. Porém, fiquem com o poster(olha como é chic) para o lançamento do 1° capitulo no dia 10 de outubro:



Sinopse: Emma sempre pensou em como iria morrer, mas ela não estava preparada para o que o destino a aguardava. Emma é uma garota diferente das outras do seu colégio, não só pelo o seu jeito de se vestir, mas também pelo jeito de viver e pensar. Emma está tendo pesadelos frequentemente, onde ela enfrenta anjo caídos, onde ela chama de sonhos perfeitos. Um grande amor pode nasce, mas o que ela não sabe é que seu grande amor é um demônio. Emma está preparada para mudar uma nação surreal, onde a guerra é com anjos e demônios, E você está preparado?
Então, para quem estiver curioso, basta clicar aqui e acompanhar lá no blog dele as coisas sobre o livro e quem sabe no que pode dar né?

terça-feira, 11 de setembro de 2012

A Técnica dos Cinco Sentidos, dicas

Eu peguei essa dica na comunidade S.O.S Novatos, recomendo:
Tumblr_m9865rtyln1r3m921o1_500_large



Muita gente tem até uma ideia boa, mas quando vai escrever… As cenas simplesmente não ficam legais. Parecem incompletas, rápidas demais, sem conteúdo… E não instigam o leitor a continuar. Mas tem um jeito bem prático de mudar isso, pelos menos no quesito descrição de lugares.
Essa técnica é conhecida como a dos Cinco Sentidos e, como o nome fala, você usa seus cinco sentidos para escrever a cena; os sons, os cheiros, a visão, o tato e até o paladar.

sábado, 11 de agosto de 2012

Como criar seu próprio pseudônimo

Pseudônimo é uma coisa que muitos autores usam, e é algo realmente útil para ajudar na divulgação da história e tudo mais, já que por exemplo, um nome comum e simples chama muito menos atenção do que um como "R.W. Collins", por exemplo. Então, estava procurando disso, até para mim mesma, e achei essas dicas. Mas antes, vamos á definição - para quem não sabe - de pseudônimo de acordo com o Wikipedia: 

Pseudónimo ou pseudônimo (do grego antigo ψευδώνυμος, composto de ψευδο- "pseudo-" e ὄνομα "nome", ou seja, "nome falso"), é um nome fictício usado por um indivíduo como alternativa ao seu nome legal. Normalmente é um nome inventado por um escritor, um poeta, um jornalista ou artistas que não queira ou não possa assinar suas próprias obras.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Cinco dicas para escrever melhor


Escrever não é tão difícil. Já dizia Pablo Neruda: É só começar com uma letra maiúscula e terminar com um ponto final. No meio, você coloca ideias.

Ok. Na verdade, são apenas três. As outras duas você já conhece. Não contam. São os clichês dos (aprendizes de) escritores. Mas tão úteis e verdadeiras, que eu acho praticamente impossível alguém escrever bem sem segui-las. Aliás, vamos começar por elas.
1. Leia
Escrever é consequência da leitura. Você só vai ter vontade de escrever se ler. Eu, por exemplo, leio em média um livro por semana. Vez ou outra alguém me pergunta como arrumo tempo/paciência para isso. Meu segredo é: eu só leio o que gosto. E ponto. Não ligo pro que vão achar. No ano passado, li até Marley e Eu, só pra você ter ideia. Atualmente, estou lendo humor. Assim que acabar Cuca Fundida do Woody Allen, lerei o clássico Anedotas de Ari Toledo. O negócio é ler o que der na telha, sem ambição de agradar qualquer pseudo-intelectual formado em Letras.

2. Escreva

Não tenha medo do Word em branco. Escreva sobre qualquer coisa. Não fique à espera da Big Idea. Escreva sobre a vida. E sem medo de fazer feio. Alguns escritores chegam a refazer mais de dez vezes cada linha que redigem. Mesmo que você não sonhe em ser o novo Hemingway, escrever vai melhorar sua lógica e o modo como você se expressa, além de enriquecer seu vocábulo. Separe cinco minutos por dia e escreva. Faça isso todo dia. Em menos de um mês, você vai estar se comunicando melhor e, espero, escrevendo mais de cinco minutos.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Fic da Semana #2

A fic que eu escolhi essa semana, foi realmente pensada. Digo, não escolhi uma engraçada ou fofa(apesar de ter isso nela também) como a ultima foi. Ela pode inspirar ou ajudar á vocês, que pretendem escrever cenas com cargas emocionais, o que acho que essa autora faz extremamente bem, digo, estou totalmente morrendo com os capítulos recentes (23 -24), e eu me sinto tão como a personagem que todos aqueles sentimentos vem a tona. Então, ai está:




Wish You Were Here

Sinopse: Uma simples garota, sai de intercambio para ficar na casa de nada mais nada menos do que os Lerman. Bom, isso não parece nada demais, a garota vai para a escola, conhece seus amigos, se da bem com a família, mas sua vida decola realmente no sexto mês, quando um integrante especial da família volta para casa. Será esse o motivo de faze-la querer voltar para casa? Ou será esse o motivo que irá faze-la querer ficar?
São perguntas que Mandy fará a si mesma.
Classificação: +16
Categorias: Logan LermanPercy Jackson e os OlimpianosAll Time Low
Gêneros: Amizade, Aventura, Comédia, Romance

--------------------------------------
Então, eu realmente recomendo - se você for Lermaniac como eu sou vai amar mais ainda- tanto para passar o tempo, quanto para, talvez, melhorar nesse quesito, se você tiver alguma dificuldade, se inspirando, já que acho a história muito boa e enfim. 
Não esqueçam de comentar!


domingo, 5 de agosto de 2012

Trinta dicas "infalíveis" para escrever bem

Achei essas dicas que vi no Guia do Estudante, muito uteis para quem ainda está começando, ou perde apenas alguns detalhes, e o melhor disso é que aborda isso em um tom mais leve, cada dica demonstrando o que ela mesma diz. 
As barbaridades que circulam na internet sobre o mau uso do idioma 

1. Deve-se evitar ao máx. a utiliz. de abrev. etc.

2. É desnecessário empregar estilo de escrita demasiadamente rebuscado. Tal prática advém de esmero excessivo que raia o exibicionismo narcisístico.


3. Anule aliterações altamente abusivas.

4. não esqueça as maiúsculas no início das frases.

5. Evite lugares-comuns como o diabo foge da cruz.

6. O uso de parênteses (mesmo quando for relevante) é desnecessário.

7. Estrangeirismos estão out; palavras de origem portuguesa estão in.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Fic da Semana #1

Fanfic é algo que eu gosto muito, e suponho que alguns de vocês também gostem, por isso, decidi trazer, cada semana, uma fic que eu recomendo, estou lendo e blá blá blá. Como esse é o post de inauguração, vamos, primeiro falar da definição de fanfic(de acordo como o Wikipedia):
Fanfic é a abreviação do termo em inglês fan fiction, ou seja, "ficção criada por fãs", mas que também pode ser chamada do Fic. Trata-se de contos ou romances escritos por terceiros, não fazendo parte do enredo oficial dos animes, séries, mangás,livros, filmes ou história em quadrinhos a que faz referência,ou uma história inventada por eles. Os autores dessas Fics são chamados de Fictores.
Tem coisa ai que nem eu sabia, tipo essa coisa dos autores, podem me chamar de fictora(?). Então, as fics que eu pegar para esse quadro, não são de minha autoria( eu não posto mais as minhas fics, para a salvação da humanidade) e serão pegar no Nyah! que é onde eu leio e acompanho ("Crie sua conta e junte-se á nós nesse mundo maravilhoso criado por fãs"). 

A primeira fic é de Percy Jackson, que eu já li inteira, e estava relendo agora e decidi "Hey, por que não recomendar?". Então:

O Roteiro escrita por MaeveDeepO Roteiro
Sinopse: Percy e Annabeth se amam e querem se casar. Poseidon e Atena não se suportam. Hera, avaliando os pais pelos filhos, decide que os dois (Percy e Annabeth) só vão poder se casar se Poseidon e Atena provarem que podem passar uma semana como casal, com Lua de Mel e tudo.Por quê? Porque ela é a deusa doida do casamento, dã.Depois de muita relutância, em prol da felicidade de seus filhotes, os dois aceitam (para guinchos histéricos de felicidade de uma certa maníaca deusa do amor).Afrodite programa toda a semana e entrega O Roteiro aos dois, após levá-los para um lindo e romântico chateau na França, nos arredores de Versailes.Esse Roteiro envolve coisas (românticas na opinião de Afrodite, detestáveis na opinião de Poseidon e Atena) como ela experimentar as roupas dele, fazer massagem um no outro, se beijar (ui!), uma viagem incrível a Paris com um romântico jantar onde têm de dar comida na boca um do outro... Suuuper meigo.E, claro, as "conseqüências" do casamento: cuecas penduradas no banheiro e por aí vai... Divirtam-se!Fanfic original, capa feita pela Alice
Detalhes pervertidos e um certo capítulo escritos pela MaeveDeVil.
Classificação:+16
Categorias: Percy Jackson e os Olimpianos
Gêneros: Comédia

-----------------------------------------------------
Então, se ficaram interessados, eu realmente recomendo, é muito boa, me fez dar altas risadas e me apaixonar pelo Poseidon. Mais para frente virei com outras de gêneros diferentes, e enfim. Podem aguardar, toda quarta.
E, hey, não é porque estamos falando de fics que vamos parar com os livros. Se você tem alguma sugestão, basta comentar, e iremos lá, conhecer e logo em seguida, postar. Só não tenho postado com certeza frequência assim, porque não tenho tido o que postar.
Não esqueçam de comentar então ;)

sábado, 28 de julho de 2012

Novo theme!

Ilustração de Post lindo do Kawaii World, não resisti.
Então pessoal, vocês que - muito obrigada por isso, aliás - vem constantemente aqui, pra ver se finalmente postamos alguma coisa, ou então, ler os posts antigos e enfim, visitam o blog, devem ter notado o novo theme. Fiquei algum tempo fazendo-o, e gostaria de saber o que acharam? (O banner lindo,feito pela Kath ainda permanece).
Além disso, vão ver que o CBox saiu dali, mais por uma questão de estética do blog mesmo, por isso, sintam-se livres para pedirem para irmos aos blogs que escrevem suas histórias, ou apenas visitar os blogs pelos comentários mesmos, e assim, ou nós iremos responder por aqui, ou então, lá no seu próprio blog.
Outra questão é que eu gostaria de agradecer á todos, que mesmo depois do nosso breve afastamento, não abandonou o blog, e sério, isso nos deixa muito feliz. 'Tá certo que já tem um monte de blog com a mesma ideia que a nossa (vi um ou dois incríveis - eu ia colocar o link mas não consegui achar :( ) , mas isso não vai fazer com que nós desistimos.
A partir de agora - tenho um novo blog, e fico mais animada pra fazer essas coisas *-* - estarei mais presente aqui, sempre que possível postando algo novo. Pensando até em fazer alguma coluna semanal pra não deixar o blog vazio nem nada. 
Galera, e ai, o que acham do theme? Das "inovações" que podem ocorrer? 

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Trilogia Flinx, de Pamella Santos

  

  Num mundo onde os maus planejam contra a sua própria sociedade são necessários aqueles para fazer a sua proteção. Porque não os filhos dos seus líderes? Mas é claro que as divindades desejam isso, embora nem todos saibam desse futuro já planejado. 

  Helene é a princesa da sétima tribo de Flinx, Zéfiro. Uma garota sonhadora, alegre, que é vista como encrenqueira por todos e principalmente pelo seu pai e irmã. Ela não faz ideia do seu destino traçado, que sua vida se desfaria como a poeira ao sabor do vento. Até tudo virar uma grande mentira. Traição. Era o que as pessoas que amava escondiam dela. E contra sua vontade é levada para um lugar desconhecido para ser treinada como guerreira da sua tribo. Um lugar com pessoas peculiares e de personalidades diferentes que ela tem que saber lidar. A partir daí, tudo rumou para uma estrada sinuosa. 

  Mas ela se sente magoada? Errado. Ela se sente traída. Mas não deve se preocupar tanto com revanche. Não quando o passado perdido cai sobre ela desenhando linhas de um futuro tenebroso e incerto. Não quando uma criatura mata e rouba auras de pessoas mortas. Não quando seus sentimentos são tão confusos para com um estranho. E principalmente, não quando aqueles que deveriam estar trancafiados e isolados, ameaçam retornar. E esse... É o pior mal que poderia acontecer.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

"O Beijo da Morte" de Verônica


SINOPSE Uma menina que teve seu DNA alterado, na qual sua vida se resumia em matar. Uma máquina de matar que não deveria ter sentimentos ou dúvidas.Após voltar de uma missão, encontra pessoas diferentes do que ela conhecia, sua vida muda drasticamente. Ela era mesmo só uma humana com DNA alterado? Apenas uma máquina de matar sem sentimentos e dúvidas?

1° Capitulo - Irmãos?!


Levantei do chão sujo e limpei o sangue da minha boca.
Olhei para o lado e vi um corpo morto, que eu mesma tive que matar. Virei seu corpo e olhei no seu rosto. Desviei o olhar dos seus olhos sem vida e peguei a minha espada que estava fincada no seu coração.
Engoli em seco e escondi meu sentimento de dor, medo e insegurança. Olhei para o outro lado e vi um homem “dançar” uma verdadeira batalha.
-Termine logo com isso Jack! Não brinque em serviço! – gritei brava.
Logo vejo o homem, na verdade o Jack, terminar sua dança perfeita, cortando o pescoço do homem. O jeito de ele lutar era incrível e sempre me fascinou. Limpou sua faca em um movimento rápido no ar e caminhou na minha direção.
-Denise. Quantos foram hoje?
-Apenas vinte e dois. – falei isso como se não me importasse, pois esse é o nosso trabalho – E você?
-Vinte. – ele disse e fez uma careta – Você sempre ganha.
-Como se eu me importasse. – falei caminhando na direção do carro preto que nos esperava na rua deserta, como um deserto, sem nada por perto, além de uma casinha branca, onde as pessoas que matamos ficavam – Odeio essas pessoas. Essas pessoas que usam outros seres humanos para invocar os seus “Deuses” que na verdade são apenas espíritos malignos.
-Nem me fale. – percebi ele começar a andar devagar e calmo.
-Não vejo a hora de nos encontrarmos com eles. Eu juro que vou matar cada um deles com gosto. Fazendo-nos ter que matar mais e mais pessoas inocentes... Odeio-os! – segurei minha fúria e entrei no carro esperando por ele.

Uma pequena divulgação

Oi pessoal,
Sei que muitos querem nos matar pela ausencia e falta de noticias e enfim, coisas aqui no blog, mas é que além de termos nossas outras coisas para fazer, como a maioria dos autores tem seus livros sendo divulgados em comunidades do Orkut, dificulta bastante para localizar e tal, já que essa é uma rede social bastante "esquecida" pelo menos, por mim.
Então, eu vim fazer uma pequena divulgação (eu pensei em fazê-la á algum tempo, mas fiquei meio envergonhada e tudo mais, e espero que não liguem - preparei um post logo a seguir, para compensar) do meu novo blog. Sim, eu deixei o Minha Vida Vampira de lado e criei um novo, que é o Refugio dos Livros


A Katherine também está na equipe, e enfim. Entrem lá, deem uma olhadinha, se gostarem, sigam *-*

Até mais ver,

Vitória

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Como ser um escritor

Tumblr_m59o17jsb81qfyxaco1_500_large

Eu fiz uma postagem sobre dicas para escrever um livro e agora eu estou fazendo uma sobre como ser um escritor. Você pode fazer seu livro, mas você tem que saber como é ser um escritor:

1- Ter a consciência que é difícil
Muitos pensam que ser um escritor, escrever ou publicar sua obra é algo fácil, mas não é. Você não pode simplesmente fazer um livro e achar que a primeira editora que você mandá-lo vai aceitar (só se você escrever bem ou for uma pessoa muito sortuda), não, isso é algo difícil. Se já é difícil ser um escritor imagine no Brasil, infelizmente são livros demais para poucas editoras e brasileiros não tem habito de ler. Conheço muita gente que mal pegou um livro.

2- Escreva porque gosta
Você escrever, mas não gostar do que faz pode ter certeza de que sua obra não vai dar certo, você sempre vai ver defeitos nela e nunca vai ser boa o bastante.

3-O tema e pesquisas
Escolha um tema que lhe agrade. Não ainda fazer um livro de romance se você não gosta ou fazer um de investigações se você não sabe sobre o assunto. Faça algo que você goste e sinta vontade de continuar escrevendo e aprimorando.
Alguns temas são necessários de uma pesquisa mais a fundo, pois você não sabe de tudo (pelo menos eu acho). Não adianta fazer um livro sobre a Idade Média se você não souber sobre ela, pesquise sobre os costumes, roupas, arquitetura, hábitos e etc. Se você não fizer isso sua história não poderá ser imaginada pelo leitor, ocorrerá muito rápido e não terá graça de ler (mas não detalhe demais para não ficar cansativo)

4- Evite abreviações
Ok, você tem uma história de adolescentes, realmente não haverá uma linguagem formal, pois normalmente falamos gírias, xingamos (evite usar muitos xingamentos também) etc, mas evite usar abreviações como aquelas que algumas pessoas usam nas redes sócias ''vc, pq'' e etc

5- Após terminar seu livro, registre-o. Divulgações.
Se você preparou um original, é melhor registrá-lo na Biblioteca Nacional antes de começar a enviá-lo para as editoras ou sair distribuindo por aí. Para ter uma estreia boa quando for publicar seu livro é bom já ter admiradores da sua obra por isso eu recomendo postar em um blog, Nyah (na sessão de originais), comunidades e etc, mas antes disso é bom ter seu livro registrado. Infelizmente existem pessoas que plagiam obras descaradamente.

domingo, 13 de maio de 2012

Eu Indico

Vim indicar webs maravilhosas que existem por esse Brasil. Elas são postadas em comunidades do orkut e a mais famosa delas é a Só Webs, aonde há uma grande variedades de histórias incriveis com escritas e enredo melhor ainda. Postei as que eu mais gosto, com gêneros variados para agradar a todos.


Lua Vermelha



"Sem memórias.
Você já se sentiu enganado por sua própria mente? Já se sentiu como se não pertencesse a seu corpo?
Linnea poderia lhe responder que sim."

Você ouve?
Os rios sussurram em suas cascatas. As árvores murmuram nas profundezas das florestas. Os pássaros cantam seus segredos e as feras sem nome uivam seus temores. Você consegue ouvir?

Você vê?
O Espírito da Floresta baila entre as árvores. Os Filhos da Geada cantam o Inverno e os Herdeiros da Alvorada saúdam o amanhecer dourado. Os Homens erguem suas muralhas e as Sombras escavam as entranhas das montanhas. Você consegue ver?

Você sente?
A magia corre em suas veias. O saber se esconde em sua mente. Os segredos permanecem sob suas mãos, mas o mistério está em seus olhos. Você consegue sentir?




Alvorecer




Valerie Wood; uma garota comum, que vive em uma melancólica cidade, onde o tempo parece não passar. Dentre tanta monotonia, sua vida da uma guinada quando os mistérios irrespondíveis, começando pelo desaparecimento de seu pai, e indo aos sonhos arrepiantemente apaixonantes com um garoto estranho e irresistível, adentram em seu roteiro. Entretanto, quando Randy Murray, com seus cabelos negros e olhos arrepiantes, entra em sua escola, tudo vira ao avesso. O problema não estava em seu jeito enigmático ou em sua capacidade de a deixar sem palavras, mas sim no fato de que parte de Valerie sabia que conhecia ele. Sabia que, mesmo não tendo nem um terço da beleza esplêndida do objeto em questão, Randy, com seu rosto cheio de cicatrizes, era, por dentro, extremamente parecido com aquele que perturbava - e iluminava - suas noites; seus sonhos. Dominada pela dúvida, Valerie fará de tudo para desvendar esse enigma que a persegue; afinal, se já não bastassem todos os seus problemas, o medo que sentia pela aparência desfigurada de Randy se transformou em uma paixão irrevogável e surpreendente. Misturando suspense com romance, Alvorecer marca a estreia da saga O Mestre Das Almas, revelando, com sensualidade e maestria, os segredos que guiaram a todos a uma romântica e perigosa aventura.



O Caçador de Almas
e o Vinhedo Maldito



Anthony Jones é um jovem britânico que narra as aventuras que vive ao lado de Max Begum, um investigador particular e, nas horas vagas, o Caçador de Almas como se auto rotula. Tem Anthony como seu fiel assistente para caçar as almas perdidas e ajudá-las a encontrar o seu real caminho, resolvendo os enigmas do porque desses espiritos ainda permanecerem vagando por ai com, ou sem um propósito. Mesmo ambos morando em Liverpool na Inglaterra, recebem um caso irrecusável na Itália, mais precisamente em um vinhedo na cidade de Toscana. Prudence Ambrosini alega ter visto o espirito de seu irmão mais velho, Bernardi, vagar pelos vinhedos de sua propriedade durante a noite. Ele então que havia se suicidado da mesma forma que o pai - este que se matou anos antes por motivos dos negócios não irem bem -, foi encontrado sem vida em algum lugar do vinhedo. A espingarda bem perto de seu corpo e metade de sua cabeça espalhada pelo chão. Ainda não se sabe realmente o motivo do suicido, o que fez a dupla aceitar o caso caso mesmo sendo em outro país, pois aos olhos de Max, este é um mistério interessantissimo. Embarque também nessa aventura de mistérios, suspensa e uma pitada de romance. Quem sabe consiga montar o quebra-cabeça primeiro que o Caçador de Almas.




La La Land


Are you ready for Hollywood?
Ah, o show business. Tentador e vermelho tal qual a maçã no jardim do Éden. Proibido? De certa forma. Totalmente cruel. Desleal. Ele te seduz de um jeito enigmático. Leva-te até o seu limite. Ele te comanda; ele te detona. É um jogo sujo regido por traições. Muda os seus princípios e acaba com seus sonhos. E não se atreva a descer sequer um degrau: Existe sempre um forasteiro pronto para ocupar o seu lugar. É um amor cruel; um amor infiel; um amor que machuca. Afinal, o show não pode parar não é? O mais curioso é que, mesmo sabendo de tudo isso, quem é que não gostaria de dar uma mordida nessa maçã?



Acampamento Literário





Centenas de jovens com um único sonho: ter suas obras lietrárias conhecidas. Uma editora de renome mundial lança uma promoção em seu site e seleciona os autores dos melhores contos para passarem um ano em um Acampamento Literário, envolvidos em uma competição que levará ao ganho de prêmios, entre eles a publicação de um livro, a realização de um filme baseado no enredo do vencedor ou uma viagem à Portugal para estudos e especializações. Nina Kendall é uma simples jovem do interior que aceita a ser submetida a tal desafio. Mas ela vai descobrir que as coisas que parecem difíceis são extremamente complicadas e as extremamente complicadas chegam a ser impossíveis de serem realizadas. Gincanas, cumplicidade, paixões, irmandades, festas e muita rivalidade e, no recheio de tudo isso, um mistério que ronda as proximidades do acampamento localizado na bela e charmosa Montana.


Tem MUITAS outras webs boas nessa comunidade, mas tive que selecionar só algumas, Espero que tenham gostado e comentem!


Shadow Kisses

terça-feira, 1 de maio de 2012

Erros de Gramática



É normal errar, afinal somos humanos, mas temos que tomar cuidado quando se trata de escrever. Um erro comum aos escritores novatos é a troca do mais pelo mas. É um errinho, pequeno em comparação a tantos outros por aí, mas que acaba taxando o escritor de ruim, inexperiente, novato e etc.

Mas é uma conjunção adversativa e indica oposição, equivalendo à “porém”, “contudo”, “entretanto”, “no entanto” e o mas na maioria das vezes é acompanhado de virgula. O mais é como se fosse uma soma, acrescentando algo.
Exemplos:

1. Jane sabia que ia dar errado, mas resolvi tentar.
2. Jane sabia que teria mais um erro em sua lista, que já era grande.

Você sabe a diferença entre mal e mau? Muita gente se confunde, mas é fácil entender. Veja:

Mau é adjetivo (serve caracterizar uma pessoa, objetivo, etc) e significa "ruim", "nocivo", "prejudicial", "de má qualidade" etc. E se opõe ao bom. Já mal pode ser: substantivo, advérbio ou conjunção e se opõe ao bem.

1. Nada explica o seu mau desempenho
2. O sarampo é um mal que está sendo erradicado do país

O uso dos porques é algo muito chato sim, mas é necessário saber usá-los corretamente. Vou tentar resumir para ficar mais fácil de decorar:

O porque é usado para explicar, como o ''pois''.
1. Eu não fui para a escola porque eu estava doente.

Por que é usado como interrogação:
1. Você foi para a escola por que?

Por quê
Uma dica boa para saber como usar esse é que ele só deve aparecer no final de frase.
1. Ela saiu? Por quê?
2. Ele a maltratou, mas não sei por quê.

Já o porquê é mais complexo. Você só pode usá-lo depois de um artigo ou um numeral (artigos: o, a, as, os e um, uma, uns, umas, embora os femininos não sejam usados nos porquês. Numerais: um, dois, três...). Exemplos:
1 Lucas não quer brincar porque está dormindo.
O porque está sendo usado como explicação, nesse caso, qual o motivo de Lucas não querer brincar.
2 O porquê de Lucas não querer brincar é o fato de ele ainda está dormindo.
Nesse caso temos o artigo "o". Por isso, usamos o porquê.
(Esse trecho do ''porquê'' foi retirado da comunidade S.O.S Novatos, recomendo)

Por enquanto é só isso.

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Os mais variados generos

Esses dias eu estava pensando em como tem vários gêneros diferentes e em como, geralmente os autores se especificam em um, quando vão escrever uma história. Eu ando passando bastante tempo - bem, sempre passei - lendo fanfictions e tenho visto muito isso, e quando digo, quero dizer em grandes proporções.
Tem uma autora - que é pessoalmente minha favorita (Mandy-Jam)  - que ela é simplesmente perfeita para escrever uma boa comédia romântica. Mesmo escrevendo cenas de ação - as melhores fics são de Percy Jackson, ou seja, essas cenas são necessárias -  o que mais se destaca na história, no fim das contas é a comedia.
Enquanto uma outra autora(Maiia) que eu também amo a fic escreve perfeitamente cenas hots, se é que me entendem. Mesmo que não seja á todo momento e completamente - um pouco quem sabe - explicito, as cenas são incríveis e fazem - ou fez comigo  - você sentir muito calor. Especialidade de Apolo, cof cof.
Enfim, o que quero dizer é que todos os autores - podem ser aqueles "amadores" ou os "profissionais"- são especialmente bons em determinada área. Usando-me como exemplo, acho que sou péssima no romance, enquanto escrevo cenas de ação razoáveis. É um ponto forte e um ponto fraco - ou razoável, caso você escreva tão bem quando J.K.Rowling, Rick Riordan e C.S.Lewis -  que todos devemos trabalhar.
E o de vocês? Qual é o ponto forte e o fraco? Quem sabe podemos tentar trabalhar mais em melhorar ambos e enfim, deixar nossas histórias ainda melhores - sendo que tem umas que já são perfeitas -.

Projeto Design

Tumblr_m11ktkhjce1qbbb7bo1_500_large

Resolvi criar algo chamado Projeto Design, sem fins lucrativos, no qual eu faço capas para fanfics para ajudar na aparência da suas fanfics porque afinal ter uma capa legal ajuda.

Então vai ser assim: Vocês vão preencher essa ficha (clique) e vai enviar e esperar até eu terminar de fazer e eu vou enviar para teu email de contato e talvez postar aqui. Bom, se você acha que a aparência não muda nada eu digo que muda sim, não estou dizendo que isso vale para tudo, mas quando se trata de publicação de algo a aparência ajuda. Tanto ajuda como atrapalha.

Estou pensando também em ajudar com sinopses porque tem algumas fanfics que nem colocam, só botam ''Só lendo pra saber''. Eu não leio fanfics assim, mas por enquanto é só em capas. Quando eu tiver mais tempo (vou entrar em semana de prova) eu penso se vou fazer sinopses também.




Por enquanto é só isso.

Ausência

Primeiramente eu gostaria de pedir desculpas por não estar postando muito. A falta de tempo não é problema ao todo, o problema é a falta de originais. Eu visito vários blogs, procuro originais, mas eu não acho algum que nós não postamos. Então eu resolvi pedir ajuda a vocês: Se vocês conhecem algum original (fanfic, web e etc) e vocês gostam (ou pode ser a de vocês mesmo) mostre para nós. 

Por enquanto é somente isso.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Garota Pesadelo de Mariana P. Calais


                     

                                                   Sinopse                      

Olá. Minha vida era pra ser perfeita, normal como de qualquer outra garota,  eu tinha sonhos que poderiam virar realidade, mas não foi bem assim, minha vida virou de cabeça pra baixo um tremendo pesadelo, e nem se eu quisesse  poderia esquecê-lo  Meu maior desejo? Vingança. Meu nome? Kettely Black. Sou sua felicidade,
 mas lembre-se  posso ser seu maior pesadelo.

                                             Prólogo
1899 Estados Unidos
-Filha como você está linda com essa roupa - Disse minha mãe adotiva.
Sorri para ela através do reflexo do espelho, e vi que seu rosto estava radiante, mas nos seus olhos havia preocupação.
-O que foi mamãe?- perguntei enquanto praticamente pulava de emoção.
-Nada é que os anos passaram tão rapidamente. -Ela hesitou por um instante-Filha eu e seu pai precisamos falar com você, e esse assunto não pode esperar mais, já estivemos adiando ele por tempo demais e você precisa sabê-lo.
-Vamos Erin, fale logo para ela. -Disse papai da porta.
-Filha quando encontramos você lá na floresta na época que você era uma recém nascida...
-Você estava com um pequeno papel  dentro do seu colar, eu e sua mãe só percebemos que era um papel quando você já estava com a gente uns 3 meses depois, Retiramos o papel do colar e lemos, mais eu e sua mãe decidimos melhor você ler ele, do que nós tentarmos explicar para você...seria mais fácil assim.-Disse papai  retirando com cuidado um papel meio amarelado do bolso.-Isso foi da sua mãe.
-Tome Kettely e leia com cuidado-Papai avisou dando o papel.
Eu pequei o papel e comecei a ler.


  Explicarei rápido já que não tenho muito tempo: eles estão atrás de mim. Porque querem você, o seu pai é um anjo muito poderoso e você herdou parte desse poder, como você é pequena e indefesa eles querem matá-la, você é uma mestiça muito poderosa, pois possui o poder das Fadas e dos Anjos, mas ser anjo tem uma desvantagem: quando alguém mata um anjo todo o poder que o anjo tinha vai para o assassino. Eu te trouxe  para o mundo dos humanos, mas o nosso mundo, o mundo dos sobrenaturais é outro, a terra é só um dos meios de ir para o nosso mundo, filha o seu pai está vivo mas ele nos abandonou, ele queria matá-la logo depois do seu nascimento , mas você tem uma avó chamada Anabett Mckenna, nossas gerações viram imortais quando o poder nasce em nós, para cada espécie e um ano diferente o das fadas é entre 17 a 21, os dos anjos é entre 19 a 37. Se uma espécie sobrenatural consegue te matar depois que o seu poder nasce, eles vão ficar com todo poder que você herdou de mim e do seu pai, eles não vão ter piedade na hora da sua morte, eles nunca têm.
Elena Black  
O resto da carta parecia que foi rasgada, e estava toda amassada, as letras erram belas, mas mesmo assim eu não acreditava nessas palavras, devia ser tudo uma mentira da minha mãe que me abandonou, tudo uma farsa, que meus pais adotivos caíram como se fosse uma armadilha.  
-Eu não acredito nisso- Falei e devolvi o papel para eles.
-Filha nos temos outra coisa para dizer também - Disse papai
-O que? –Perguntei já frustrada.
-Ouvimos o Kevin falar com um grupo de meninos sobre você, Mas eles nos viram e pararam de falar na mesma hora.-Disse mamãe
-Mamãe, papai, eu sei que vocês odeiam o Kevin mas eu estou apaixonada! Fazer o que hein? É o destino. –Falei com um sorriso sonhador.
-Não, não quero que você vá sozinha para casa dele e nós não fomos convidados. Estamos preocupados que ele possa fazer alguma coisa... Inapropriada a você minha querida. -Disse papai
-Papai.-revirei os olhos- Vou falar com o Kevin papai, fique tranqüilo- Falei não esperando uma resposta. -Mas mamãe eu estou realmente bela com esse vestido?
                                           ***
-Os meus pais vão certo?-Falei quando cheguei ao lado do Kevin.
-Eu não ia chamá-los, mas se você quiser que eu os chame assim seja. -Disse-me
-Sim, seria maravilhoso, obrigado. -Disse colocando o meu braço em volta do seu.
-Mordomo chame a Senhora e o Sr. Maxwell, enquanto eu guio a Senhorita Kettely- Disse  Kevin para o mordomo.
Kevin me levou para a carruagem, observei meus pais vindo junto com o mordomo, juntos sentamos dentro na confortável carruagem.
Chegamos  à sua casa, que mais parecia um castelo de tão grande, imaginei eu morando ali, naquela imensa casa.
Entramos, comemos, bebemos, e conversamos como se minha conversa com minha família não tivesse acontecido, então do nada o ar ficou pesando, e o relógio bateu três quando deu meia noite, fui me sentindo meio tonta as palavras da minha mãe viam distante...
-Kettely? Esta tudo bem?- mamãe perguntou
Soltei um gemido de horror quando uma dor de repente me atingiu. Era como se eu estivesse pegando fogo, não, não era assim, era como se uma faísca de fogo estivesse de algum modo dentro do meu corpo. Parecia que esse fogo aumentava tomando conta dos meus braços, das minhas pernas, meu tórax, tudo! Ate mesmo o ar que eu tentava respirar parecia fogo descendo por minha garganta. Eu gritei e gritei. Minhas mãos se balançando  freneticamente em minha frente,  o mundo parecia agora uma imensa casa de horrores, eu via um mundo com um novo ar diferente, obscuro, pegajoso, imundo, e o pior: fantasmas gritavam e tentavam me alcançar.
-Mamãe? O que esta acontecendo?-sussurrei tão baixo que quase não podia ouvir minha própria voz.
 Filha!
Não era minha mãe que me chamava, era outra pessoa, outra voz. De repente eu não estava, mas na sala de jantar do Kevin, eu estava em frente para uma mulher com lindas asas estilo borboleta.
Cuidado!
O mundo se tornou preto, e eu me senti caindo... e caindo..em um buraco sem fim, em um poço onde ficava cada vez mais fundo, onde a luz ia tornando-se um ponto no meio do nada, ate que nem um ponto de luz eu podia ver.
Quando eu acordei, eu me sentia fraca, e estava perdida, havia esquecido o meu nome... Qual era mesmo o meu nome? Ah, sim, Kettely, eu estava deitada no chão, com os braços presos, e as costas super dolorida, percebi que eu estava em cima de lindas asas... as MINHAS asas... Tão negras, com reflexos de um azul escuro. Enquanto analisava minhas asas com olhar percebi também que eu não estava com o mesmo vestido.
Olhei para onde eu estava: um porão, analisei o lugar ate que vi Kevin escorado na porta sorrindo para mim, e disse:
-Kettely, meu pequeno anjinho, acho que você vai ser a garota que vai me dar mais lucro-Ele parou e me olhou como se estivesse me avaliando. - Se você fosse um pouco mais pálida você seria perfeita, e esses cabelos pretos? Tão lindos! Teria mais vida. Você precisa é de um toque vampiresco, ou nesse caso-ele sorriu mostrando presas- de uma mordida. 

                            ***********************

Minha opinião: Essa é a primeira historia da Maah, o que nem parece, porque o universo que ela criou pra hibrida foi suuuper bem feito, a personagem principal adoro ela faz você querer saber o que ela vai fazer, e eu estou suuuuer ansiosa pelos proximos capítulos ate agora só foram dois e estou louquinha pela historia 
Então se vc gostou e quer acompanhar 
bjoos


terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Mysticum de "Nymphadora"

Sinopse: Até onde você iria se descobrisse que pode? Que pode mais?
Ela não sabia. Mas vai ter que aprender.
Prólogo
Eu não sabia o que estava fazendo ali, de qualquer jeito. Não me surpreendeu nem um pouco que no mínimo segundo que me restava, eu estava pensando no quanto eu era idiota. Porque eu deveria saber, ou sabia – não é como se fizesse muita diferença naquele ponto – que não deveria ter me metido com aquela garota.
Ela me olhava, como se avaliasse meu próximo passo. E eu não duvidava nada disso. Parada, com os cabelos cor de cobre completamente inchados e os olhos chocolate distorcidos de fúria, ela podia ser mais alta do que eu. Ela parecia mais alta do que eu, mesmo que na verdade não tivesse mais de um metro e meio. Uma onda de poder irradiou dela, e observei seu rosto enquanto se formava um meio sorriso cheio de um sarcasmo doentio.
Não importavam quantas eu já tivesse enfrentado, nem quantos. Não importavam quantas vezes eu já tivesse combatido o sobrenatural, ou o que todos ao meu redor chamam de lendas. Não valia de nada tudo o que ouvi nos últimos meses.
Nada me preparara para aquilo.

                                     Trecho do Capitulo Um


Eu estava fora da cidade há cinco anos. Pensei que reconheceria até o cheiro do lugar, que minha casa seria a mesma e que as pessoas... bem, seriam as pessoas.
Mas quando minha prima virou para me olhar e dizer “Chegamos!” eu estava pensando que era só mais uma escala. Absolutamente nada estava como eu me lembrava. Tudo estava mais arrumado, mais bonito, até mais charmoso. As pessoas que eu via nas ruas, que certamente deveriam ser conhecidas, não pareciam olhar para mim com familiaridade.
Me assustei e me encolhi no banco do carona quando vi a que era minha melhor amiga me olhar com desdém. Ela não deveria saber que era eu, mas desde quando olhava as pessoas assim? Eu devia estar ficando doida mesmo. Eu tinha oito anos quando fui embora, então já saberia se ela fosse ter uma inclinação para o mal. E não me pareceu nada disso naquela época.
– Vamos fazer uma parada. – ela avisou.
Ramonna parou o carro na frente da loja da operadora local, que eu nunca tinha visto antes. Alguns celulares estavam em exposição e vários planos estavam nas vitrines também, e se não fosse por isso, eu não perceberia que era a loja de uma operadora. Resolvi não ficar no carro, para não dar uma de anti-social. Ela provavelmente acharia melhor assim. Reconheci – bem, quase reconheci – a garota atrás do caixa. Tinha cabelos cor de bronze e sorria de um lado ao outro da orelha enquanto falava ao telefone. Quando nos viu murmurou alguma coisa que não devíamos ouvir – mas que eu acho que Ramonna ouviu – e deu um “tchau” apressado antes de desligar – provavelmente na cara da pessoa – o aparelho.
– Oi! Ramonna, não é?
– Sim, sim. Você é Katie, estou certa?
– É, é – ela disse indicando com um gesto da mão livre o crachá preso ao avental preto por cima do vestido azul que usava, que tinha seu nome gravado.
– Ah, não, não foi por isso! – Ramonna deu uma risada – Me lembro de você. Ia todos os dias ao parque.
– Ah, sim. Isso... – ela deu um sorriso sem graça – É mesmo. Mas eles fecharam o parque. Problemas com a montanha russa. – Ramonna se afastou um pouco da bancada, assustada.
– Alguém se machucou? – perguntou.

                                         *********************
Ah personagem principal é bem legal, e o mocinho é irresistivel ♥ 
Esse livro lembra  "A Mediadora" da diwa Meg Cabot, e eu recomendo a todos.

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Dominantie- Saga Predadora de Carol Rezende


"Ela tem o corpo de mulher. Mas só o corpo. 
Porque sua alma é predadora.
E ela está pronta pra te devorar."


Saga Predadora Vol I - Dominantie

Num futuro onde os mitos não existem, Elisabeth Bohan é obrigada a fugir. 
Depois de ter sido atacada por um desconhecido há três anos, sua vida nunca mais foi a mesma. 
Ela via melhor. Ouvia sons a quilômetros de distância. E sentia um apetite brutal por carne humana. Em suas caminhadas desesperadas, ela aprendeu várias coisas sobre a Sociedade aparentemente perfeita da Nova Ordem. Coisas que nunca havia aprendido em seus livros de escola. Mas, quando encontra ocasionalmente com o misterioso Zack Newcasttle e seu povo, ela recebe um chamado difícil de recusar: Tornar-se a Dominant de Andromeda e libertá-los da opressão de sua sociedade tão corrupta. 
Mas para isso desafios deverão ser aceitos, inimizades não poderão ser ignoradas e o amor deverá ser totalmente esquecido. 
Será que Elisabeth e sua predadora interior sempre faminta aceitará plenamente o desafio?


Trecho do primeiro capítulo:

     “ Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças” Charles Darwin.


A predadora está a solta nas ruas da hexagon mais uma vez.
Quem a visse a primeira vista não acharia que ela é perigosa. Seus cabelos longos escondem sua expressão sombria, transformando-a em uma verdadeira desconhecida.
Ela respira fundo e sentiu o cheiro que carne quente entrando em suas narinas, despertando seu apetite. Rapidamente, ela esconde-se dentro do beco e espera.
A dona daquele cheiro é uma garota pequena e aparentemente indefesa, que tem uma postura encolhida enquanto caminha rapidamente pela calçada.
E aquilo representa superioridade para o monstro que admira a cena.
Quando a presa aproxima-se da predadora, ela sai de seu esconderijo estrategicamente atacando sua vítima.
- Socor... - Aterrorizada ao ver os olhos brilhantes da fera, a garota grita a plenos pulmões e debate-se debilmente em virtude do peso de sua agressora.
Sem misericórdia, no entanto, a predadora segura a cabeça da vitima com a mão livre e bate contra o chão frio. Os olhos dela não se fecham, mas a parada repentina de seu coração indica sua morte. 
 
 
Gostaram? Se quiserem ler mais é só ir ao blog da história clicando aqui


sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Nyah! Fanfiction

Oii, como vocês estão?
Venho aqui hoje para mostrar direito  á vocês,  esse site incrível, que eu descobri a algum tempo, nele você posta as suas historias, e ele aparece numa coluna na lateral do site (para  todos que estiverem online nessa hora verem) junto com as historias mais recentes, e também na aba "Recentes". Então é um (pelo menos eu acho) uma ótima maneira de divulgar suas historias, as historias postadas lá são chamadas de fics, outra coisa bem legal lá são as categorias :

Tem sobre bandas, animes/mangá, filmes, cartoons e etc, essas categorias são realmente fanfics, mas se for uma historia que você mesmo criou é para a categoria dos Originais, têm historias com diversos gêneros sim lá você também pode escolher os gêneros,  as fics de lá são  muito boas, e eu indico super esse site. Também há uma pagina com "Dicas para escrever bem", elas são realmente bem uteis (aconselho vcs a darem uma olhada).
Acho que é só isso.
beijoos  até mais