sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Livro:"Por Trás das Sombras" de Sophia Grings

O livro é maravilhoso,até onde li,e a escritora Sophia é muito gentil.Eu gostaria de apresentar á voces essa historia maravilhosa que a Sophia escreve,e ela é realmente emocionante...A escritora é tão gente boa que já fizemos meio que uma mistura de personagens que ficou hilaria.Quem quiser entrar no site dela clique aqui.Ok,vamos conferir o primeiro capitulo?

"A casa estava totalmente escura e vazia... 
Tinha algo me perseguindo...Eu não sabia pra onde correr, ele estava em todo lugar...
Eu estava assustada, eu não sabia o que fazer...
Eu corria mais parecia que eu não saia do lugar, tenho certeza que minhas pernas traidoras não estavam me obedecendo.
Não sabia explicar o que era aquilo e o que queria.
Não conseguia entender...Porque estava na casa dos meus pais? Essa hora era pra eu estar no colégio...Por que aquilo estava ali? E porque ficava me perseguindo...Tantos porquês que eu já estava começando a surtar.
Queria sair correndo, pedir socorro, mais quem me ajudaria naquele momento e com alguma coisa me seguindo.
Aquilo (sei lá o que era, um tipo de monstro com dentes afiados, só que não tinha garras, corria rápido, pulava alto... era estranho!) chegou perto...E falou comigo não bastava correr atrás de mim, também tinha que falar comigo?
-Louise, é um prazer conhece-la.
Como ele sabe meu nome?E qual era o prazer de conhece-lo?Nenhum, pelo menos era educado.
-Então é verdade?Seu sangue tem um poder forte e um cheiro maravilhoso, é uma tentação não resistir a ele.
Ah? Tentei entender, o que ele disse não fazia sentido, meu sangue tem cheiro maravilhoso?Como assim?Aquele desconhecido estava pirando?
Tentei responder, minha voz não saia.
Pensei que iria morrer...Aquilo (sei lá o que) estava chegando perto...Finalmente minhas pernas resolveram me obedecer, dei alguns passos para trás, fiquei com medo de sair correndo e aquilo viesse atras de mim.
Ate ouvir a voz dele...
-Não chegue perto dela.
Ai meu Deus era ele, que sempre aparecia em meus sonhos, mais só que desta vez ele falou com seu tom protetor, meu guerreiro, que aparece sempre pra mim,
me defendendo dessas coisas que ultimamente anda aparecendo, assustando, causando danos psicológicos (quem iria pagar minha sessão com o psicólogo?).
Só que existia um grande problema, quase não conseguia ver seu rosto.
Sempre ficava num enigma, não dava pra saber se ele é gatinho ou não.
Pude senti sua presença, seu cheiro, seus olhos, sua voz era sedutora.
Ele estava vestido todo de preto, (tudo bem, sabe, preto é uma cor que nunca sai da moda, mais usar todo dia deixa a pessoa fúnebre)... Só pude ouvir sua voz, sua doce, maravilhosa e fantástica voz.
Eu não tive coragem de olhar para trás...Mais não tive outra opição, ele apareceu do meu lado.
Era algo inexplicável; ele olhou para mim, seu olhar me deixou hipnotizada.
Estou me sentindo em um filme de terror...E eu era a mocinha indefesa, uma coisa terrível estava querendo me pegar o e protetor da mocinha corre para salva-la.Típico para um conto de fadas moderno...
-Senhor Gulliver...É uma honra vê-lo outra vez, seu pai teria orgulho de ver o que você se tornou...
Ta legal...Isso esta se tornando cada vez pior, ele conhecia aquilo?Ele deveria repensar em suas amizades, mais não pareciam tão íntimos.
Ele não respondeu nada.
-Como está seu pai?-Ele deu uma risada maquiavélica, era de assustar qualquer um, tremi de medo...
Senti a raiva que cresceu no meu guerreiro misterioso, ouvi sair um barulho estranho de garganta, era impressão minha ou ele estava rosnando? Ele me segurou pelo braço, me apertou com força, ele era forte, e tinha que descontar sua fúria em mim?  Ele estava com raiva daquela coisa ali e não de mim. (Se não se lembra eu sou a mocinha).
Então ele me soltou, parecendo que estivesse lido minha mente, eu fui me afastando aos poucos, não queria ficar ali sozinha com dois desconhecidos, eu não sei o que eles queriam de mim?E nem quero saber por isso estou dando o fora daqui.
Então aquele monstro falou de novo.
-Manda lembranças...
Aquele monstro que estava me perseguindo desapareceu assim do nada.
Senti um pequeno alivio, nossa como eu era uma medrosa!
Senti a tensão que estava no ambiente, não era nada legal...
Coloquei a mão no peito, na tentativa de controlar minha respiração...
-Ai que horror...Pensei que eu fosse morrer...- eu e minha boca aberta, eu não podia ficar calada?
Ele olhou para trás, e percebi que seus olhos procuraram pelos meus...
-Você esta bem?-ele disse, andando em minha direção.
Tudo bem ele poderia ate ser um gatinho com aquela voz e tudo mais, eu não sabia o que ele tanto procurava saber e o que eu tinha haver no meio dessa historia maluca?
Tentei correr, mais em um salto assustador ele parou na minha frente (ok, já entendi esta tudo resolvido, isso é um sonho, eu estava em e um lugar familiar, tudo bem, era a casa familiar, então como fui parar ali? Estou quilômetros distantes da casa dos meus pais, e uma pessoa normal não pulava daquele jeito, só se ele não fosse um humano, ai esta a prova de que tudo é um sonho, assim espero!).
Tentei gritar e mais uma vez minha voz não saiu, ele me segurou pelo braço, nos encaramos, por incrível que pareça me senti confortável, protegida...Eu estava tendo um surto psicótico, confortável? E com um estranho?
Ele era muito forte, tentei me soltar mais estava sendo difícil lutar contra sua força sobrenatural...
-Não tenha medo!
Como eu não vou ter medo?Perguntei a mim mesma;
-Você está certo, não tenho que ficar com medo, eu tenho que ficar apavorada –ele riu, foi um riso bom de se ouvir - como você me pede para não ter medo? Não sei quem é você, não consigo ver seu rosto direito e nunca te vi em toda a minha vida, tem coisas me perseguindo, essas coisas falam que meu sangue tem um cheiro bom, como eu não posso ficar apavorada?-respira… um...Dois...Três, peguei fôlego, então me acalmei - Quem é você?
-Você saberá quem eu sou, tempo irá te mostrar...
Ele passou sua mão em meu rosto, senti um arrepio subir pela...Minhas costas? Para tudo! O que eu tinha em mente? Eu nem sabia quem era ele e já sentia leves arrepios como se fossemos íntimos ou se lá o que,...E sua voz me deu calafrios, ele falou comigo de novo?Ele chegou mais perto.Senti meus joelhos vacilarem...
-Louise...Sua beleza é radiante, me fascina - ele começou a passar a mão em meus cabelos e cheirou eles como se fossemos íntimos ou algo parecido.
Ah! Legal quem ele esta pensando que é pra falar e agir comigo desse jeito?Não somos amigos e nem nada igual, e tenho um namorado, ate amanha... Não posso negar que gostei do que ouvi - seu cheiro, sua pele, eu perco o controle quando estou perto de você...-Perde o controle?Como assim? Que tipo de controle ele esta falando?Para tudo! Ele é tarado, só pode ser, pra estar falando desse jeito.
-Como sabe meu nome?
-Sei muito sobre você...-Ai que horror como ele sabia tudo sobre mim?Ele realmente deve ser um tarado.
-Você é algum tarado ou alguma coisa parecida?-Ele riu de novo, devo ser algum tipo de palhaça de circo, não é possível, pois tudo o que eu falo ele da risada da minha cara.
Ele se aproximou seu rosto do meu rosto, me olhou diretamente nos olhos...Ai! Aqueles olhos...Hipnotizavam-me... Parecia que iria me beijar, e é claro que eu não iria aceitar, eu acho...
Ele chegou mais perto, seu cheiro era realmente maravilhoso.
-Realmente seu sangue tem um cheiro maravilhoso.
-Legal agora todo mundo vai ficar falando isso?
Ele riu, mais seus olhos mostraram uma grande tristeza e fúria.E como eu sabia sobre isso?
Eu sei era meu ‘’extinto’’ falando de novo, eu e esse sentimento, descobrir a vida das pessoas é uma droga, isso só acontecia com pessoas que são próximas a mim, nunca aconteceu com um estranho.
É estranho, mais me acostumei depois de um tempo, meus pais falaram que eu era uma garota especial...E eu fingia que acreditava que eu não era uma aberração.
-Sinto que algo muito ruim aconteceu no seu passado e você ainda não superou...Você ainda sofre com isso...-ele me encarou...Para tudo! Como pude
sentir tudo aquilo? Com um estranho?  A muitas das vezes isso acontecia com pessoas muito próximas amigos, família ou alguma pessoa que fosse muito próxima a mim...
Ele riu, mais seu olhar ainda era de tristeza.
-Me avisaram sobre seu dom, melhor você tomar cuidado com isso, nem todos aceitam pessoas diferentes - ele segurou minha mão, me olhou por um tempo:
-Cuidado com as pessoas ao seu redor, somos diferentes, os humanos não aceitam isso, não confie em ninguém.
Legal, agora ele estava me ameaçando?Tudo bem, não parecia uma ameaça e sim um aviso de preocupação, eu só não entendi a parte que ele falou...Humanos, ele era o que um ete. Para estar falando assim?
-Não ande sozinha pela noite, por mais que à noite a deixe mais forte, é perigoso, não poderei te salvar sempre...Se cuida...- ele começou a se afastar...
-Espere!-ele parou, mais não olhou para trás - Tenho tantas perguntas...
-O tempo saberá responde-las.
Ele sumiu em toda aquela escuridão...







Acordei assustada...Sem fôlego.
-Um sonho...-ou melhor, outro P-E-S-A-D-E-L-O.
Era um alivio acordar e vê que não passou de um sonho, ou melhor, um pesadelo dos grandes, meu coração ainda estava disparado, não parecia um sonho...Era tudo tão real, aquela voz, ainda ouvia sussurrar meus ouvidos.
-Foi só um sonho, apenas um sonho. - falei comigo mesma.
Olhei para o lado e vi que Elisia ainda estava dormindo, ela era minha melhor amiga, estamos nos suportando á 10 anos, nossa amizade começou quando nossos pais tiveram a brilhante idéia de nos colocar nesse colégio interno (essa é uma palavra mais bonitinha para prisão escolar...) não os por isso culpo, eles estavam pensando em meu bem, no meu futuro...Pois o colégio Little John é o melhor do país, e blá, blá, blá...
Já me acostumei com aqui, em alguns fins de semana vou para casa deles, e passo as férias de dezembro também, meu relacionamento com meus pais é complicado, e o fato de ser filha única as pessoas pensam que sou mimada por eles, e meu pai não ser meu pai de verdade (mais considero como se fosse, ele me trata como se eu fosse sua filha de sangue...), mais sempre tentamos entrar em contato (carta, ligações e e-mails...) pelo menos tentam mostrar um pouco de afeto, já que me abandonaram aqui...
E alguns anos se passaram e ainda estamos presas aqui.
O sonho foi um horror, e lembrar dele me dava dor no estomago.
Levantei...Espreguicei-me...E fui até o banheiro, meu corpo estava todo suado, era nojento.
Não nasci pra ficar fedendo suor, por isso evito o máximo as aulas de educação física, faço alguns exercícios físicos leve, como caminhada,alongamentos e yoga. 
Olhei para o espelho e vi como eu estava um bagaço, um horror...Toda acabada e suada, parecia que estava correndo em uma maratona correndo dez quilômetros em dez minutos.
Meus cabelos negros e longos estavam molhados, meu corpo branquicelo estava pingando suor...Eu sei, tenho um amor próprio...Eu sou um pouco diferente das garotas que estudam aqui...Meus cabelos são longos e negros, minha pele é muito branca, a cor de meus olhos eram negros (meu pai falava que meus olhos eram duas jabuticabas que procuravam sinceridade nas pessoas), minha boca tem forma de coração e vermelha (parece que uso batom vinte e quatro horas por dia), eu não era nem alto e nem baixinha, altura normal para uma garota de dezessete anos.
Nada como um banho para resolver tudo.Estou precisando tirar férias, ou eu vou enlouquecer nesse lugar.Deixei a água morna percorrer pelo meu corpo...Esquecendo totalmente do mundo que me esperava lá fora.
Fiquei ali por um bom tempo, esqueci completamente tudo, naquele momento era somente eu e mais ninguém...Foi difícil sair do banho e encarar toda a minha vida estressante, família, escola, amigos e agora uns sonhos perturbadores que tenho quase todas as noites, só que nessa noite foi o mais terrível.
Enrolei-me na toalha e sai do banheiro...
Andei ate janela para ver como estava o tempo, abri uma brecha da cortina, tinha uma coruja parada na janela, ela era toda marrom, era linda, abri o vidro para conseguir vê-la melhor, disseram que coruja piando na janela era agouro, eu não acredito nisso, era um animal extraordinário, eu estiquei minha mão meio com medo dela se assustar ou me machucar, continuei indo com a mão em sua direção não pareceu que iria me picar, então comecei acaricia-la, suas penas eram macias...Fiquei lá fazendo carinho na coruja, ate a coruja bater as asas e sair voando. Fiquei olhando ela voando, e reparei no céu, iria ser uma amanhã ensolarada...O sol ainda estava nascendo, uma linha clara apareceu no horizonte, o pátio da escola estava vazio, senti vontade de dar uma caminhada, pegar um ar, sei lá sentir a natureza, aproveitar que não tinha ninguém.
Infelizmente Elisia acordou...Não que isso seja ruim, ela fica de mau humor quando é acordada de manha, em pleno domingo, fica difícil de agüentar sua ignorância.
-Que horas são?-Elisia perguntou.
-São quatro e trinta e cinco.
-Voce fez o favor de me acordar essa hora? Faz mais ou menos uma meia hora que cheguei-ela falo irritada.
-Descupe te acordar, não consigui mais dormir...
-Louise, aconteceu alguma?Você esta com uma cara péssima - ela me olhou com uma cara seria esperando uma resposta sincera.
Ela já sabia que tive um daqueles sonhos esquisitos, ela estava ficando acostumada em me ouvir gritar dormindo ou levantar assustada!
-Só mais um pesadelo, nada de mais.-menti, não queria que ela ficasse me perguntando’’ como foi? O que aconteceu? ‘’ E esse blá, blá, blá, todo, não estava com pique para ficar conversando.
-Você precisa procurar ajuda, tipo um medico, igreja ou um centro espírita ou fazer uma sessão de descarrego...Seu caso esta ficando ca vez mais serio - ela se espreguiçou- ah!Valeu por me acordar cedo.
-Foi nada!-falei rindo de sua cara inchada de sono.
-Você perdeu ontem a festa da primavera.
-Fiquei estudando, não estou conseguindo acompanhar muita bem matemática.
-Estudando?
-Sim, estudando bastante.
-Ai esta o seu problema.-ela me olhou com cara de seria.
-Como assim?-tentei entender, como esse era o problema?
-Com esses sonhos malucos que você tem, estudar de mais é o problema, você se esqueceu de sua vida social e só fica com essa cara enfiada nos estudos, não porque você é primeira da turma e monitora do grupo de estudos, não quer dizer que você não deva se divertir um pouco, e em falar de se divertir, Enrique perguntou sobre você.
-Nem me fala o nome desse garoto.-não que eu estivesse brava com ele...Eu estava com raiva de mim por não sentir algo por ele, Enrique era um namorado maravilhoso para qualquer garota menos eu.
-Ok! Esse namoro de vocês é estranho, não vou me intrometer entre você e o bombadão-ela não gota de falar sobre relacionamentos.
-Vai falar com ele, você já o castigou demais, só porque você não gosta dele que o garoto merece sofre por isso.-ela olhou seria pra mim.
-Não quero falar nesse assunto - Enrique não merecia o que eu estava fazendo com ele, tudo bem, concordo com Elisia, vou falar com ele hoje.
Não iria ser uma conversa com final muito feliz... Meu namoro com Enrique já de o que tinha que dar...Seria difícil para ele, além disso, é o melhor a se fazer...
-Já sei até o porque...
-É o melhor a se fazer...-falei sem querer.
-Louise, como você consegue terminar um relacionamento sem sofrer...
-É claro que eu sofro...Pela pessoa é claro...
Ficamos sem falar por um bom tempo...Deitei na cama e fiquei encarando o teto do quarto por um bom tempo.
Elisia olhou pra mim, com uma carinha de cachorro abandonado, era fofoca, ela sabia que eu não gostava de falar da vida alheira.
-Tá, pode falar...
-Tenho uma fofoca da boa.-Ela não perde uma.
-Fala.-e se eu não ouvir acho que apanho.
-Chegou um novo garoto Aqui no Little John - grande novidade, um monte de gente chega aqui no colégio Little John todos os dias, já sei ela vai falar que ele é um gatinho e mimimi!
Elisia não consegue ter um relacionamento duradouro, em toda nossa amizade nunca a vi com um namorado mais de dois meses –Ele é todo mistério não falou com ninguém, não saiu do quarto desde a hora que chegou.
Ela olhou pra, não respondi nada, então ela fala falo:
-Espero que ele seja gatinho, parece que ele morava na França e se mudou para o Brasil a poucos dias...
-Legal...Boa sorte na sua tentativa com o garoto - falei e comecei a me vestir - vou dar uma volta.-falei para Elisia.
-Ta bom...Vou tentar dormi de novo.
-Boa sorte!
Coloquei minha calça legging, uma camiseta e meu tênis que usava para fazer educação física com o professor Jorge Dulliman, fiz um rabo de cavalo no meu cabelo e peguei meu mp5.Caminhar ouvindo musica me faz viajar...
Principalmente ouvindo os clássicos da Enya, Caribbean blue é a minha musica favorita dela, eu coloco pra repetir varias vezes...
É eu sei quem é o tipo de pessoa que vai fazer uma caminhada em plena madrugada? Resposta eu! Se eu ficasse dento desse quarto iria enlouquecer, precisava esvaziar a cabeça, tenho que estudar matemática, pois tenho dois livros para ler, Geometria e Polinômios...
-Acho que Elisia esta certa-falando sozinha de novo.
Tenho que descansar um pouco a minha mente, estou acumulando muita coisa ao mesmo tempo...Eu sei que não sou uma garota normal, sou diferente muitas garotas que existem por ai, mais estudar me faz esquecer quem sou, me faz parecer normal.
Já estava no pátio do colégio, nem percebi como foi rápido chegar ate lá...
Me alongue pra não ter dor no corpo, ninguém merece ficar andando toda torta por causa da dor muscular,experiência própria com as aulas de educação física.
O sol já estava começando a clarear um pouco o pátio do colégio, mais a luz ainda era fraca, pois o patio ainda estava muito escuro.Eu deveria ter medo mais não tive, eu estava acostumada a ter esse ataque inesperado de caminhar na madrugada, nos últimos dias estava sendo normal, meu corpo esta trocando o dia pela noite, será que isso é normal?
Respirei fundo, fechei os olhos e tentei fazer uma pequena sessão de yoga, senti uma paz interior, relaxei mantive a calma.
Eu comecei a caminhar, então veio um sentimento estranho, me senti muito incomodada, continuei a andar, era uma sensação estranha.
Estava com uma sensação de estar sendo vigiada, parei e olhei ao meu redor e não vi nada alem do escuro, impressão minha...
Preciso tirar umas férias urgentes estou começando a surtar.
Senti um calafrio era estranho, vi uma sombra atrás de mim, não quis olhar, imaginação minha...Deve ser algum aluno, só podia ser.Então comecei a andar de vagar se lá o que fosse eu não demonstraria que estava com medo.
E algo me segurou pelo braço, calma!Vamos pensar...Saio correndo, grito ou tento usar um golpe marcial?Eu sei parece estranho, mais estive em algumas aulas de Kung fu, acho que consigo dar um golpe e sair correndo, se não conseguir eu começava a gritar...
Não olhei para trás, fiquei paralisada, nessas horas meu corpo resolve parar de funcionar...
-Louise fica calma, sou eu Enrique - olhei pra trás e senti um grande alivio-O que você esta fazendo essa hora aqui fora?
-Nossa!Garoto você me deu um susto, quer me matar do coração?Eu quase tive um troço, você agora deu de andar de mansinho?- suspirei - estou dando uma volta, esquecer um pouco a vida, perdi o sono e não quis ficar no quarto, e você o que esta fazendo aqui?
-Também não consegui dormi, fiquei pensando em algumas coisas, família, amigos e nosso relacionamento...Mais aconteceu alguma coisa? Você nunca gostou de acordar cedo...-ele falou me olhando serio.
-Não, não aconteceu nada ultimamente ando acordando cedo.
-Isso faz sentido...-ele me deu um sorriso e pude perceber como ele era lindo, com aqueles cabelos castanhos claro todo bagunçado, ele era bronzeado, (não era de se espera, ele morava na praia com os pais), tinha um físico e tanto (tanquinho e braços e pernas fortes), tinha olhos claros, verde bem claro, ele era bem alto, minha cabeça bate em seu ombro.
-Elisia me falou que você queria conversar comigo?
-Sim, claro!-falei já pensando em como começar...
-vamos dar uma volta...Esse tipo de conversa me deixa elétrico, não consigo ficar parado.
Começamos a andar no pátio que ainda estava escuro.
-Enrique, eu sei que nos conhecemos há muito tempo, desde o dia que você entrou aqui no Little John, eu fui a primeira pessoa conversar com você...
-Eu me lembro...-Tinha uma tristeza profunda em seus olhos.
-Tínhamos uma amizade legal... -ele me cotou antes de terminar de falar...
-Já sei, não precisa continuar...-senti a grande tristeza de seus olhos crescer ao nosso redor...
-Me desculpa, mais pensei que seria melhor não continuarmos com isso...-parei e respirei – neste momento estou pensando em você e não em mim...
-É, eu sei...Desde quando te conheci você não consegue gostar de ninguen... Eu não por que pensei que seria diferente entre nos dois...
-Você acha que é fácil eu ver você sofrendo assim?
-Não, pensei que seria diferente o nosso relacionamento...Pensei que tínhamos algo legal, mais o que você sente por mim é só amizade...-ele me abraçou, pude sentir sua magoa...-não se preocupe vai ficar tudo bem comigo - ele falou segurando uma lagrima que estava crescendo em seu olho.
Senti minha angustia se acalmar...Eu não gostava de ver nenhuma pessoa assim, principalmente quando posso sentir o que a pessoa esta sentindo.
-Podemos ser amigos de novo?-falei tentando ser sincera.Depois do nosso namoro acho impossível ele querer olhar na minha cara.
-Sim, claro...-ele me olhou nos olhos - prefiro ter você como amiga a não ter você mais na minha vida.
Foi por isso que tivemos um relacionamento, Enrique é super romântico, fofo, super legal e engraçado, o namorado perfeito para qualquer garota, creio que ele ira superar isso rápido, estudam tantas garotas bonitas aqui, e conheço algumas que gostaria de namorar Enrique...
Apenas sorri, e tentei esconder como eu fiquei supersem graça com essa frase...Devo ter ficado totalmente vermelha, senti meu rosto queimar...
-Vou para o quarto dormi um pouco...Tenho que descançar um pouco, você deveria fazer a mesmo, você esta com uma cara que não dorme há muito tempo...-percebi que Enrique estava certo, eu não conseguia dormir a muito tempo, eu estou perdendo o sono...Devo estar com insônia...
-Ok!- falei para Enrique - Você vai ficar bem?-perguntei em um tom preocupado.
-Acho que vou...Não se preocupe...
-Como não vou me preocupar?
-Vou ficar bem...
-tem certeza?
-Tenho...-Ele disse parecendo ser sincero, mas por dentro senti que ele não iria superar isso tão cedo.
Enrique começou a se afastar de mim.
-Boa noite!...Toma cuidado...Você fica andando sozinha no escuro, pode ser perigoso à noite...
-Enrique... Já perdi medo do escuro desde os meus seis anos...-eu dei uma risada.
-Ta bom então...Tchau!
-Tchau!
Fiquei olhando ele entrar pela porta do refeitório...Os meninos cortavam caminho pelo refeitório...Era uma caminhada muito longa dar a volta pro trás do refeitório, ate os monitores faziam isso...
Enrique foi sumindo com a escuridão que estava, foi difícil magoar Enrique, foi melhor terminar agora do que terminar depois e magoa-lo mais ainda.
Ele era forte vai superar isso logo...
-Já vi que hoje vai ser um longo dia...-agora dei de ficar falando sozinha.
Continuei a dar minha caminhada.
O céu já estava claro, era uma linda manha de domingo...
Hoje meus pais não irão vir me visitar, nem quis saber o motivo, é sempre assim, estão cansados, resolvendo problemas familiares e mais alguma desculpas.
Uma coisa que não entendi... Já que eu sou um fardo na vida deles, então poque tiveram uma filha?Eu já fiz essa pergunta para minha mãe, ela me respondeu que eu não era um fardo, e o que estavam fazendo era para o meu bem.
Me colocaram em um internato,quando eu tinha sete anos,sabe como é crescer sem ter seus pais por perto?É horrível, as pessoas conseguem viver sem pai ou mão, não sem os dois.
Eles podem me mandar as melhores mensagens, presentes ou me visitar de vez enquando, mais nunca vão conseguir tapar o buraco de suas ausências na minha vida.
Eu sinto que eles escondem algo de mim, Elisia falava quando éramos mais novas fala que nossos pais eram espiões e sempre estavam combatando criminosos e salvando a humanidade.
Eu sei tínhamos uma mente superfértil foi nossas imaginações que nos ajudaram a esquecer nossa cruel realidade...
Sentei na arquibancada do campo de futibol do colégio...E passei a manha de domingo pensando...Para ser mais sincera, passei domingo lamentando como minha vida era cruel.
Deitei no banco e fiquei olhando o gramado do campo...
O sol estava forte, estava começando a irritar meus olhos, coloquei meu braço nos meus olhos.
Lembrar do passado meu deixava cansada..."


Muito bom né?O que acharam?Comentem por favor.


XoXo,


Vicky

4 comentários:

  1. Oi Kath e Vicky
    Nem sabia que vcs iam criar um Blog em conjunto! Fiquei totalmente surpresa, rsrs
    Espero que ele tenha mt sucesso (não tenho duvidas disso)! Se quiserem ajuda com alguma coisa que eu posso ajudar, é so pedir! Adoro vcs!
    PS: Vick, adorei a intervista! rsrs

    =)

    Visitem, comentem, sigam e aproveitem o meu blog:
    http://malucosdaleitura.blogspot.com/
    ...
    ♥ ... Bem sei que me AdoraM ...♥
    ...
    XoXo

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigada,
    é muito bom saber que as pessoas gostaram.

    Bitocas

    ResponderExcluir
  3. Muito bom!
    É tão legal ver novos autores, talentosos, surgindo a todo momento :D

    ResponderExcluir