sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Passaros Negros de Adelle

Então, andei lendo o primeiro capitulo, e o que eu posso dizer? Eu adorei a historia...

Sinopse

     
 
 
 
   Adelle só queria ser uma garota normal, como qualquer outra com dezesseis anos de idade. Ela queria esquecer que presenciara a morte do pai e do irmão que tanto amara.
     Mas em vez disso, ela precisa cuidar da mãe alcoólatra e tomar cuidado para não ficar doida. E como se isso ainda não fosse suficiente, ela ainda tem que lidar com um estranho dom que lhe permite saber  quando e como as pessoas vão morrer.
     Apesar de tudo isso Adelle conseguiu levar a vida de modo razoável por todos esses anos, porém isso irá mudar quando um garoto novo entrar no seu colégio e um lobisomem passar a vigia-la dentro da própria casa. De repente ela se verá fazendo parte de um mundo escondido dos humanos, um mundo perigos e convidativo.

     " Tudo que eu queria era uma vida normal, mas o que ganhei foram olhos de um Demônio "

     Você tem medo da morte?
     Eles tem
 
 

                              Prefácio


    
 
 
" Não adianta querer contrariar o destino. Não adianta fugir da morte, porque ela nunca vai deixar de te perseguir. Você vai morrer um dia. Você não sabe quando, mas eu sei. Eu sei exatamente quando e como você vai morrer.
     E a minha filisofia sempre foi a de que, se você tentar mudar a sua morte ela irá voltar ainda pior do que a primeira.
     Eu realmente achava isso. Achava. "
     Eu não conseguia me mexer. enquanto todos estavam na pista de dança, se divertindo, eu estou aqui parada na frente de um espelho. Eu sabia que deveria ter colocado a lente de contato, com ela eu nunca saberia o que estava prestes a me acontecer e consequentemente não tentaria mudar o futuro.
     - Adelle?
     A voz de Gabe soava aos meus ouvidos, mas era como se tivesse um túnel gigante entre nós dois. Impedindo que eu ouvisse claramente o que ele estava dizendo. Aquilo não podia estar acontecendo comigo, alguma coisa estava tremendamente errada
    - Adelle?

 
 
...

     - O que estava acontecendo?
     Olhando a aura da Gabe, eu tentava descobrir se a minha visão estava errada ou com algum tipo de defeito. Em vão. A aura dele continuava do mesmo jeito de antes, cinza e com reflexos dourados, como se fossem pequenos fios de ouro. Não, a minha visão estava perfeita, então isso significava que...
     - Gabe - pronunciei, gostando mais do que nunca do jeito como o nome dele soava por entre os meus lábio - Eu vou morrer essa noite
 

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Saga Pantalon de Juliana Arruda

 Só quatro palavrinhas: A historia é incrivel.

Sinopse:

Ela era feliz.
Até que tudo foi por água abaixo.
Até que tudo o que conhecia e amava,
apagou.
    Viver eternamente como empregada na casa dos tios não estava em seus planos. Principalmente quando se tem uma parte da vida esquecida.

   Num equívoco, tudo se transforma.

   Ela descobre que essa parte esquecida na verdade, lhe fora arrancada e jamais voltará. Seria mesmo?
   Num mundo onde borboletas são mensageiras reais, onde punhos de fogo representam respeito e temperamentos e onde seres que não deveriam existir, de fato, existem, trazem consigo traições, mentiras, batalhas.

   Onde os que deveriam estar mortos, na verdade, retornaram e estão a procura do poder absoluto. Poder no qual poder estar no coração de qualquer um. Poder no qual, deve estar protegido por aqueles que foram contemplados e só esses sabem do verdadeiro mistério que pode mudar a vida de todos.

   Diante de investigações confiáveis e da presença de um cara super gato que mexe com seus sentimentos, Lyra vê que isso pode ser um erro e que a parte que lhe fora tirada pode voltar. Contudo, isso seria um risco, valeria a pena descobrir? Valeria a pena continuar nesse mundo e desvendar os segredos que a cercam?

O Reino de Pantalon está bem diante de você, cabe apenas ser portador do sangue para enxergá-lo.



Você nunca lembrará...

Saga Pantalon
D e s m e m ó r i a s

“Ele era um ímã. Um ímã muito poderoso"

Prólogo:

Sob um coração ele nascerá
E como seu dever o protegerá

Por ela se apaixonará
E seu maior medo acontecerá

Não deixe a razão intervir
E seu coração deve seguir

Deixe o medo esvair
E o seu grande amor irá ressurgir.
.”
bjus 
Mari

sábado, 17 de setembro de 2011

Livro:"Lembranças" de Veronica Wink Goes

Gente,li a historia e achei interessante e a trouxe para voces lerem e dizerem o que acharam:

Capítulo um

Depois de pegar minha bicicleta, coloquei o capacete e corri com ela até minha escola. Tirei o capacete e o sol acima não estava de tão bom humor, considerando que estava mais calor do que o comum.
Suada, fui até o banheiro feminino e quando cheguei, as meninas me olharam com nojo e saíram do banheiro...
Ótimo jeito de começar seu primeiro dia de aula! Pensei sarcasticamente.
Peguei um pano que eu mantenho comigo para causas urgentes e molhei um pouco e passei no meu rosto limpando o suor. Passei sabão e passei água de novo. Sequei-o e alise meu cabelo com os dedos, considerando que estava uma bagunça por causa do capacete.
Resolvi amarrar meu cabelo ruivo em um coque improvisado, mas firme. Peguei minha bolsa e guardei rapidamente meu pano e peguei meu nécessaire, onde se encontrava algumas maquiagens, só para passar uma manteiga de cacau no meu lábio rachado, de tanto eu morder ele por nervosismo.
Minha mãe vivia me dizendo para parar de morder meu lábio, mas... Ainda estava treinando.
Peguei tudo e guardei, mas antes de sair olhei mais uma vez meu reflexo no espelho. Sem nenhuma maquiagem, meu rosto se encontrava puro e natural... Meu olho verde musgo estava vermelho, e irritado, pois hoje de manhã o cocei.
Suspirei... Eu, uma novata que entra no meio do ano letivo da escola... Nunca pensei nisso. Eu sempre tive tudo na ordem. Tudo planejado. Terminar meus estudos na minha antiga escola, viver numa cidade grande, trabalhar como médica...
Não tinha a intenção de voltar para minha cidade natal, na minha escola natal... Quando eu tinha 12 anos, eu fui morar na casa da minha avó, no Rio de Janeiro. Não queria me mudar, tinha tudo aqui, mas acabei me mudando, largando tudo. O meu suposto “namorado”, o meu suposto “melhor amigo”, os quais os dois, eu não podia viver sem. Eles eram meus melhores amigos.
Sai do banheiro e fui caminhando até uma sala que seria da oitava série.
Leandro, era o meu namorado. O Julio, meu melhor amigo. O Leandro e o Julio, não se diferenciavam muito para mim. Eles dois também gostavam muito de mim. Nós éramos um trio. Ninguém separava a gente... Claro que tínhamos mais amigos, considerando que eles eram super populares, mas nós sempre estávamos juntos.
Quando eles estavam com os outros amigos, era como se eu fosse invisível e então, eu sumia, saindo de perto deles. O Leandro, uma vez percebeu e veio atrás de mim. Foi quando nós nos beijamos pela primeira vez. Foi meu primeiro beijo.

Fanfics?

Está realmente complicado achar algumas historias,e bom,eu poderia colocar fanfics,mas é por isso que vim aqui.Perguntar para voces o que acham disso e pedir,se tiverem como,dizer alguns livros e e-books que viram enquanto "navegavam" na net(ok,sei que dizer isso é ridiculo,mas eu tive).Esperamos os comentários e pedimos desculpas pelos atrasos de postagem.

XoXo,

Vicky

domingo, 14 de agosto de 2011

The Burns de M. L. Bastilho

Desculpem a minha ausencia no blog, mas é por causa do meu tempo que esta muito apertado. Então eu trouxe para vocês o livro The Burns da M. L. Bastilho. Espero que Gostem.


Quantas vezes você já desejou ter uma segunda chance, 
um novo jeito de viver ou até mesmo uma nova vida?

Debora Spencer estava em crise. Uma atriz frustrada, afastada da família e dos amigos gostaria de ter uma chance de começar tudo de novo e é isso mesmo que Marcus Burns lhe oferece quando a transforma em vampiro e a leva a Burns, um clã de vampiros com suas próprias regras.
Mas uma vida eterna e cheia de perigos não era bem o que Debora desejava, pois ao se tornar um vampiro, ela percebe que perdeu também sua humanidade e tudo que a controla agora é a sede.
Sede por sangue e uma paixão tão intensa que faz com que seu corpo arda em chamas por Viktor Burns, Líder do clã, irmão e maior inimigo de Marcus.
Em que lado você ficaria?
Pois em Burns não há bem ou mal, há apenas vários tipos de sede. Você consegue se controlar?
Você aguenta?
Seja forte, se deixe queimar e conheça um mundo onde sua nova vida pode ser tirada ainda mais rápido do que foi presenteada...

Corra o quanto puder, mas o fogo irá te alcançar, ele sempre é mais rápido.


 

Bjuss
Katherine

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Livro:"Eternamente" de Sophie Kriski

Achei bem legal a história,quem quiser entrar no blog,é só clicar aqui.Além disso,se tudo dar certo,vou conseguir uma entrevista com a Sophia :)


Ever se muda com os seus pais para Preciosa, uma cidadezinha pacata, onde nunca é verão.Após tres meses Ever se adapta ao clima e ao resto da cidade, e então uma familha se muda para Preciosa, a familha Devón, e logo em seguida um garoto chamado Diego Auguste. Eve acaba por se envolver em clima de tanto mistério de Damen Devón, mas o que Ever não sabe é que a familha Devón esconde um grande segredo assim como Preciosa é uma cidadezinha pequena, mas que guarda grandes segredos. 
Eu tentei correr mas não tinha para onde ir...Eu tentei gritar... Mas a minha voz não saia...Eu tentei lutar....Mas no fundo eu sabia que eu nunca venceria.

Falta de Postagens...

Gente,desculpem-nos pela falta de postagens.É que não temos encontrado livros para divulgar e isso resulta nisso.Quem quiser sugerir alguns livros pode mandar a sugestão para a gente postar(só comentar).
Além disso,acho que irei começar uma nova coluna no blog...Preciso apenas trabalhar mais nela para ficar completo.

XoXo,

Vicky

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Promoção lá no Minha Vida Vampira

Pessoas,gostaria de pedir a participação de voces na promoção de 1 ano do blog...Ficaria feliz em ver as respostas criativas que voces(escritores/leitores) vão criar...Então,quem quiser acesar clique aqui.
Muito obrigada!

XoXo,

Vicky

sábado, 11 de junho de 2011

Livro:"Anjos e Vampiros" de Cassio Dias e Carolina Abreu

Como dizem:quem é vivo sempre aparece,e venho aqui com uma obra que até onde li achei bem legal...Confiram e curtam(o nome já atrai muito né?):


11229290149kH155 copy copySinopse:Ele conta a historia de uma garota chamada Sophie que é apaixonada pelo seu melhor amigo Ryan. Ela ganha uma bolsa pra estudar em Londres e acaba sofrendo um grave acidente no meio do caminho e a sua melhor amiga Raquel (que é uma bruxa )têm visões do acidente e vai correndo para Londres junto com Ryan só que ele se perde no caminho e pede ajuda de um homem que na verdade é um vampiro e acaba atacando Ryan e ele o transforma em vampiro. E já ao saber do acidente, o anjo da guarda de Sophie , Kyle e guiado para um missão, impossível tentar acabar com o inicio do apocalipse e que ele tinha que matar Sophie pois com ela iria começar a criar um grande problema pro anjos do céu (mas o anjo que é enviado pra ir atrás de Sophie e completamente apaixonado por ela ) e ela fica completamente apaixonada por ele e  Sophie tem sangue de anjo caído com humano e ela está apaixonada pelo anjo Kyle e por seu melhor amigo Ryan que vira vampiro…


 Então,o que acharam?


XoXo,


Vicky

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Meia Noite de Marina Athayde



Sinopae

Eles me trouxeram de volta.
Eu precisava descobrir.
Eu queria meus pai.
Eu queria saber quem me criou.
Eu ganhei dois amores.
Eu ganhei traição.
Eu ganhei mentiras.
Eu ganhei amizade.
Eu perdi a inocência.
Eu soube a verdade.

- Você vai amar.
- Você vai odiar.
- Você vai chorar.

                                                       Prólogo.

                                                 Palácio Real – 1901

Eu marquei com os dois. Eu queria resolver tudo, queria que tudo ficasse claro, eu não queria mais mentiras.
Eu tinha que escolher.
Mas ninguém apareceu. Entrei em pânico, pensando que eles descobriram por si próprios e não me deram chance de explicar, então levantei do banco em que estava sentada no jardim do palácio e segui a procura deles.
Passei por todas as salas, mas não encontrei nada. Fui em meus quarto, seus quartos, na cozinha e na biblioteca.
Mas eu não pensei em ir à sala do trono. O que eles fariam lá? Eles tinham que decidir isso comigo, não com meus pais. Mas inevitavelmente eu passei pela porta.
Suas vozes se destacavam, assim como a dos meus pais, o rei e a rainha. Abri vagarosamente a porta e soltei um grito tão agudo que no final minha garganta falhou.
Os guardas reais estavam mortos, espalhados pela sala e deixando as paredes com rastros de sangue.
E no centro disso tudo estavam eles e meus pais. Um deles estava matando meu pai.
Seus olhos momentaneamente encontraram os meus. Os dele estavam cheios de determinação, e quando me viram paixão.
Novamente eu gritei.

- NÃO! 

PS: Oi, provavelmente vocês repararam que nos não postamos muito ultimamente, é que não estamos achando autores (eu pelo menos não) então se você conhece algum blog de livro que tenha uma historia boa, deixe o link em uma postagem e daremos uma olhada.
beijos
Marri

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Veneno de Patricia Camargo

Eu confesso que estou apaixonada pela historia, ela é incrível e eu também estou apaixonada pela capa. 
Só que, ela só está disponível no Orkut.

 Sinopse:
Meu nome é Daniel Negromonte.
E eu sou o seu pior pesadelo.

Prólogo: 
Não importava em qual colocação eu chegasse, ele estaria lá para me abraçar.
Mas... Ah, perder é para fracos.
Eu aumentei a minha velocidade, sentindo o capim bater contras as minhas pernas nuas, e o vento fazer meus olhos lacrimejarem.
E eu cruzei a fita. — Daniel!
— Você conseguiu! — Ele me segurou no colo, me fazendo girar no ar. — Pequena rainha, eu sabia que você ia conseguir!
— Eu pensei que fosse perder!
— Denise e eu sabíamos o tempo todo. — Daniel beijou a minha testa. — Deus, você vai ser tão egocêntrica quando crescer! Pare de ganhar sempre, pequena rainha.
Enrosquei os meus pequenos braços no seu pescoço. — Eu não vou ser egofêntrica.
Ele gargalhou. — Não, eu não vou deixar você ser egofêntrica.
— Diana! Diana! — Denise pulou em cima do banco. — Você conseguiu!
Daniel me colocou do seu lado. — Eu consegui!
— Daniel disse que você ia conseguir. — Ela me abraçou. — Você sempre consegue!
Eu olhei para trás, mas Daniel não estava mais lá. — Eu vou conseguir sempre, Dê, eu sou a pequena rainha dele.
Nós pulamos para o chão. — Você viu o jeito que o Lucien olhou para você? Tsk, ele não gostou de perder. Vamos colocar o Daniel para cuidar de você!
Franzi o cenho para o sol escaldante. — Onde está o Daniel? Ele estava aqui ainda a pouco e... — Me virei, e nós duas predemos nossas respirações.
O Rei Negromonte estava com Daniel.
Daniel e seu pai eram como a noite e o dia. O Rei da Dinastia de Fogo era ruivo como Denise, e de olhos cor de mel, alto e imperativo. Daniel tinha cabelos escuros, os olhos azuis da sua falecida mãe, e sempre um sorriso maroto.  
Mas ele não sorria perto do seu pai.
Nunca sorriu.
— O que o papai está fazendo aqui? — Denise balbuciou, saindo do choque primeiro que eu.
— Eu não sei. — Cochichei de volta. — Daniel não parece ter gostado da surpresa.
— Papai nunca vem nos ver, Di.
— O Rei nunca vem ver o Daniel, Dê. Você sempre viaja para a Corte.
Ela olhou para mim como se nunca tivesse percebido isso antes. — Por quê?
— Eu não sei. Daniel sempre fica comigo nas férias do Instituto.
Porque minha mãe também nunca quis saber de mim.
— Oh! — Denise me sacudiu, me tirando dos meus pensamentos com minha não-amada mãe. — Quem é aquele homem loiro com o Daniel?
Mas eu nunca havia visto-o antes. — Eu não sei. — Repeti.
E os três olharam na nossa direção.
Em nossa ingenuidade de dez anos, sorrimos e acenamos.
O Rei e o homem nos ignoraram e saíram, enquanto Daniel nos sorriu de volta.
Mas eu nunca havia visto-o sorrir tão falsamente.
Até o dia da sua traição.


O que acham?
Beijos

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Livro:"Thunder's Empire" de Kmila Zaoldyeck

Quando fui no blog,bati o olho no design e me apaixonei pela história só com a postagem que vi.Em breve,estará disponivel a entrevista,vou apenas conhecer melhor a história para que não faça perguntas idiotas e talz.
Vamos curtir o primeiro cápitulo,dessa história que parece muito boa?



"Legend of Raython" é uma obra de ficção. Nada aqui tem o intuito de se parecer com coisas reais. E qualquer semelhança é mera coincidência.


LEGEND OF RAYTHON
BY KMILA ZAOLDYECK, 2008
LEGEND OF RAYTHON SECOND EDITION
BY KMILA ZAOLDYECK, 2010


LIVRO I: ETHERNIA



I
Ethernia

Elektra continuava a correr. Sua testa sangrava, e em suas mãos havia mais sangue ainda.
Mas, esse sangue não era dela. Era dos três cavaleiros de seu pai, que a perseguiam.
Won, um dos dois últimos que sobraram, corria atrás dela, mas com medo de alcançar.
“Se eu a pegar, com certeza Phyreon irá matá-la na minha frente... sem ela, eu nunca poderei governar Raython...”
A garota de longos cabelos brancos e olhos cinzentos continuava a correr em vão.
“Dessa vez meu pai me mata... vai colocar minha cabeça de enfeite... claro, ele é imortal, ele não precisa de mim mesmo... mas ele não deveria ter matado a Marie! Ela era minha segunda mãe!”
Chegou a um beco. Won a encurralou.
- Tudo bem, Won. Você me pegou.
- Ah, princesa... Eu realmente queria me casar com você. Mas, infelizmente...
- Você é só mais um cachorrinho de meu pai, Won. Um verme.
- Chame do que quiser garota. Anda, vem. Não me faz usar da força.
- Você é mesmo um idiota, não é?
Começou a rir escandalosamente.
- Dessa vez eu não entendi, princesa.
-Primeiro: Eu não sou uma princesa porque meu pai não é rei. Segundo: eu nunca vou me casar com um verme que recebe ordens calado como você. E terceiro: você acha que um punhado de pedras vão deter Elektra Thrower, Filha de Phyreon, o mago-imperador de Raython? Eu sou uma maga, Won! E todo esse diálogo fútil foi tempo o suficiente para que eu reunisse energia para sumir daqui!
Won riu.
- Com a Sellphir? Você nem sabe essa magia.
- Te vejo no inferno, Won.
- Vou até lá te buscar, Elektra.
Ela professou umas palavras em élfico arcaico e desapareceu no ar.

x-x-x

Raikou dormia embaixo de uma árvore, numa pastagem a quase um quilômetro da Vila-Capital do Império de Ethernia, um lugar que ainda não sofreu com os horrores da guerra contra Raython.
Ouve um barulho e quando abre os olhos, vê uma garota caindo em cima de si, levando uns galhos da árvore consigo. Raikou bateu a cabeça no tronco da árvore. Abriu os olhos novamente, e viu um emaranhado de cabelos brancos.
Tirou-a o mais delicadamente que pôde de cima de seu abdômen, e escostou-a na árvore. Estava desmaiada e ferida. O Cajado que ela tinha caiu em cima da cabeça dele. Então ele entendeu.
“Uma maga... Ah, não!”
Começou a sacudir a garota.
-Ei, acorda aí, acorda!
-Ow, isso não é jeito de tratar uma garota, viu? Em que parte de Raython eu vim parar dessa vez, hein,muleque?
-Ei, eu não sou um muleque. E você não está em Raython.
-NÃO?! Aff... é como aquele merda do Won disse... eu sou um desastre em magias de teletransporte. Onde é que eu to então? Windia, Magma, Mizu...
-Ethernia. -O garoto disse, calmo.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Entrevistas

Voces devem estar se perguntando se eu esqueci do blog,de quase não postar,não é mesmo?Primeiramente,fiquem tranquilos(ou não,depende do que acha das minhas postagens) eu não abandonei o blog (e nem pretendo abandoná-lo).
Como o titulo mesmo diz,eu irei falar sobre as entrevistas.Eu e minhas colegas blogueiras criamos o Descoberta Literária para divulgar livros que não tiveram uma boa oportunidade.E antes mesmo da existencia do blog eu já fazia tais entrevistas.
O problema é:estou ficando sem autores para entrevistar.E é ai que voces entram:eu irei entrevistar todo(todo mesmo,mas principalmente os que eu gostar da história - os que não,peço para minhas colegas fazerem) autor ou autora que aqui comentar .
Simples e prático,sem nenhuma complicação.Se puder,coloque o e-mail,mas se não,apenas deixe um link de um blog que lhe pertença(ás vezes nem precisa) para que eu possa entrar em contato assim que possivel.
Informando:fiz a entrevista com a autora de Redenção,e só espero a resposta dela para postar no Minha Vida Vampira.

Atenciosamente,

Vitória(tentando ser formal,ignore).

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Web: Mãos de Cristo I Renascença de Kailon

Bom gente o blog tava meio paradinho né, então estou eu (Katherine) aqui para dar uma reanimada nele. Hoje eu trago uma Web que é postada numa comunidade do orkut chamada Só Webs. A história tem um enredo muito bom e a história é bem criativa. Não sei se podemos postar webs, mas aqui vai. Olhem o DC que lindo:

sábado, 2 de abril de 2011

Saga Descendentes de Priscila



Sinopse
Às vezes temos tudo que se pode querer, olhando pelo lado capitalista. Tudo não basta quando algo falta. 
E quando o que falta aparece sem querer?
E se estiver ao seu lado, e você ser a última a perceber? 
A gente não escolhe o destino. 
Não escolhemos quem somos. 
Mas, sinceramente, se eu pudesse escolher alguém para ser, seria eu mesma. 
Alessa. Recém formada na escola e nova aluna de uma academia no ensolarado Brasil. 
Por quê? É o que pretendo descobrir. 
O que vou descobrir. Os alunos da Academia podem ser mais do que lindos rostos...

Prólogo

Encontrei-me em um lugar tão claro. Reconheci uma praia. Não me era estranha, mas não conseguia me lembrar de conhecê-la.
A água brilhava em um tom esverdeado manchado pela luz dourada do sol, que começava a se pôr e a avermelhar o céu.
Senti a areia sob meus pés, branca como neve, mas de um calor que me consumia.
Reparei penhascos rodeando a praia ao norte, fazendo um contraste escuro com as faíscas rubras que agora o sol parecia emanar.
 Como lágrimas de sangue. Como os olhos que agora se fecharam nos meus.
Ela estava em pé na minha frente, o que posso dizer ela era linda perfeita, alta, cabelos loiros que descia em cascata de cachos ate sua cintura, era muito magra e usava um vestido branco de seda que atenuava cada parte do seu corpo. Ela era tão branca, ou melhor, pálida.
 A única diferença que havia entre sua beleza estonteante, era seus olhos.
Tinha uma cor de um vermelho rubro, pareciam olhos de um demônio. Ai meu Deus, esse pensamento fez meu corpo inteiro tremer.
 Ela continuava a me fitar, mas a sua face estava encoberta pela sombra do sol de fim tarde. Só conseguia distinguir seus olhos.
- Criança por que está com medo? Ela perguntou-me me fitando com aqueles olhos rubros.
- Não estou com medo, só estou surpresa. Falei. - Mais a verdade é que estava morrendo de medo.
- Pois deveria ter medo. Falou a mulher. Eu fiquei encarando ela, para tentar demonstra que não estava como medo.
Por uma fração de segundo tudo ficou escuro, fechei e abri olhos pra tentar espanta aquela tontura repetina. Ao abri os olhos novamente ela não estava mais na minha frente.
 Em compensação parecia que meu corpo estava embaixo de um monte de pedras e minha visão ficou turva novamente e aos poucos foi ficando cada vez mais escuro. Mais eu sabia que era mais um sonho. Logo, logo estaria desperta.


 O que acham?
Se gostaram esse é o blog:
Beijos
Marri  

quarta-feira, 30 de março de 2011

Trilogia Flinx de Pamella Santos


Sinopse
     Num mundo onde os maus planejam contra a sua própria sociedade são necessários aqueles para fazer a sua proteção. Porque não os filhos dos seus líderes? Mas é claro que as divindades desejam isso, embora nem todos saibam desse futuro já planejado.

     Helene é a princesa da sétima tribo de Flinx, Zéfiro. Uma garota sonhadora, alegre, que é vista como encrenqueira por todos e principalmente pelo seu pai e irmã. Ela não faz ideia do seu destino traçado, que sua vida se desfaria como a poeira ao sabor do vento. Até tudo virar uma grande mentira. Traição. Era o que as pessoas que amava escondiam dela. E contra sua vontade é levada para um lugar desconhecido para ser treinada como guerreira da sua tribo. Um lugar com pessoas peculiares e de personalidades diferentes que ela tem que saber lidar. A partir daí, tudo rumou para uma estrada sinuosa.

     Mas ela se sente magoada? Errado. Ela se sente traída. Mas não deve se preocupar tanto com revanche. Não quando o passado cai sobre ela desenhando linhas de um futuro tenebroso e incerto. Não quando uma criatura mata e rouba auras de pessoas mortas. Não quando seus sentimentos são tão confusos para com um estranho. Não quando seu passado perdido a persegue. E principalmente, não quando aqueles que deveriam estar trancafiados e isolados, ameaçam retornar. E esse... É o pior mal que poderia acontecer.
Se vocês gostaram é só irem no blog da história: http://aflorecerbook.blogspot.com/

Bjuss

Katherine

domingo, 27 de março de 2011

Opala Catharyna Mariani

Eu estava olhando e vi essa historia e me apaixonei. É meio parecido com Diários do Vampiro, ou seja, se você gosta de Diários do Vampiro você vai gostar de Opalescencia mas, já vou avisando (não tem nenhum vampiro... Bom, não até agora).
Hum... e o parece que como o blog deu algum problema ela só está postando na comunidade.

                             Sinopse 


Bianca sabia, sempre soube que escondiam alguma coisa dela, mas pra que mexer em um assunto que estava morto a muito tempo? Não é facil esqucer o passado e depois que ela conseguiu seguir sua vida esperava nunca mais pensar no assunto. Mas se você não vai atras da verdade, a verdade corre atras de você e no fundo Bianca sabia disso, só não sabia que sua vida TODA era uma mentira. E agora? O que ela iria fazer para descobrir a verdade? O que ela pensaria? E como agiria?

O que você faria se descobrisse que tudo que achou ser verdade fosse a maior mentira ? O que você faria se a pessoa que você mais odeia fosse unica que pode te revelar a verdade ?
Descubra.



Capitulo Um Aparição
-- E ai? Ele já foi embora? - Olhei pra frente tentando não pensar demais no assunto.
--Ta brincando? Ele é insistente. - Remexi no meu colar prateada.
--Então você teve a quem puxar. - Disse ela querendo fazer piada do assunto.
Fingi que não escutei. Fingi mesmo, porque eu não tenhinha nada dele, nada mesmo. A não ser os olhos verdes, mais isso não é tão ruim. Ah esqueci, e uma pinta de nascença ridícula na nunca.
Olhei para rua procurando o carro da minha mãe. E ele ainda estava la. Uma moto harley preta, com um cara enorme olhando pra mim, esperando por mim. Aqueles olhos. Os meus olhos me encarando. Foi ai que eu percebi o porque da insistencia. Eles não fizeram isso. Eles não podiam ter feito isso.
--Me da uma carona? - Perguntei desviando o olhar daqueles olhos verdes penetrantes e olhando para a minha melhor amiga.
--Claro. Mais você sabe o que eu acho disso. 
-- Sua mãe já chegou? - Perguntei procurando o carro da mãe da Julia.
--Não. Ela vai demorar um pouquinho hoje. Tem que levar meu irmão no dentista.
--Ótimo. Já volto. - Disse indo em direção aqueles olhos que não paravam de me olhar. Fazia anos que eu não o via e nem falava com ele. Anos. A ultima vez foi quando ele comprou a moto. Eu amei na época. Fazia dele o meu super herói, mais agora faz um velho querendo parecer um adolescente. 
Parei de frente pra ele e cruzei meus braços no peito. Como eu sempre fazia quando queria parecer maior e durona. Ele não tirou o capacete. Apenas me olhou. Olhou mesmo de cima abaixo, como se fosse a primeira vez que me visse. E era. Era a primeira vez que ele me via em anos. 
Eu não disse nada. Não iria ser a primeira a romper o silencio de anos. 
Ele tirou o capacete.
Mais que merd...Eu tentei me acalmar, não demonstrar expressão nenhuma, deixar meu rosto neutro. Mais não era assim tão fácil, não vendo aquilo. O cara não tinha mudado nada. Nada. Tinha a mesma aparência das fotos de quando ele e minha mãe se conheceram. A mesma de quando ela estava grávida. A mesma de quando eu nasci. A mesma de sempre. Exatamente como eu me lembrava. Não que eu me lembrasse muito.
--Vim te buscar hoje. - Ele finalmente disse, rompendo o silencio que havaí somente entre nós, porque a nossa volta as conversar e risadas dos adolescentes aproveitando o ultimo dia de aula da semana era ensurdecedor.
--Perdeu seu tempo. - Disse sem alterar minha voz nem a minha expressão.
--Não entendi. - Ele disse levantando uma sobrancelha. Exatamente como eu fazia quando era irônica, percebi de solavanco – bom, pelo menos era o que eu tentava fazer, imitando os caras sexys dos filmes e livros - . Ótimo, mais uma coisa para a minha lista do que nunca mais fazer. Ou tentar.
Tinha divertimento na sua voz. E nos seus olhos, como se eu tivesse dito uma piada.
--Eu percebi. Já fazem 3 semanas que eu não atendo seu telefona, saio de casa quando você avisa que vai e me tranco no quarto quando você vai de surpresa. Não leio as suas cartas, nem deixo minha mãe tocar no seu nome em casa. E mesmo assim você ainda acha que eu vou deixar você me levar para casa. Realmente você não entendeu. Mais eu explico. estou acostumada em ter que explicar as coisas pra pessoas limitadas. 
EU. NÃO. QUERO. VOCÊ. NA. MINHA. VIDA. - Disse falando e separando cada palavra de cada vez. - Entendeu agora? - Perguntei levantando a sobrancelha e abaixando na mesmo hora que lembrei que ele fez a mesma coisa quando foi irônico comigo.
Ele ficou me olhando como se tivesse surpreso mais feliz ao mesmo tempo. 
                                                           **********
Se Gostaram e quiserem saber mais, esse é o Blog:
http://sagaopalescencia.blogspot.com/


E essa é a comunidade (lembram do problema que eu mencionei?)
http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=105841603


Beijos 
Marri

sábado, 26 de março de 2011

Branka De Marina Garcia

Terceiro livro divulgado da Marina Garcia, eu adoro as historias dela...
Confiram a Sinopse e um pedaço do primeiro capitulo.


Crônicas dos Filhos de Atlantis
Livro I - Branka

Ironia do destino a lenda das ilhas perdidas, sanguessugas com enormes caninos, Vlad Tepes (o humano que desejava ser um sugador de sangue) e Van Helsing, todos juntos? Não! É a mais pura verdade que os humanos ainda desconhecem e nós fazemos questão de que continue assim.



                                                Capítulo 1

Poxa! Anda logo.
Gritei mentalmente enquanto me mexia de maneira desconfortável no banco do carro. Olhei pela milésima vez para o relógio do rádio, a minha impressão era a de que aqueles malditos números estavam disputando uma corrida de Fórmula 1.
- Essa coisa não se mexe nunca. - reclamei quando perdi o pequeno fio que me ligava a paciência ao apertar a buzina. - Anda agora!
Invejava a calma do meu irmão nessas horas. Bryan permanecia silencioso enquanto batucava mãos e pés como se houvesse uma bateria invisível a sua frente e escutava alguma música no Ipod. Contudo, era eu quem tinha compromisso e estava atrasada , ele só havia vindo por que não tinha nada para fazer em casa. 
Chato, nem serve para me distrair”. Pensei, enquanto voltava minha atenção para o que se passava no trânsito. “Droga, eles vão me matar”.
Eu estou escutando”, ouvi minha mente protestar. Olhei enfurecida para meu irmão, quando ele deu um sorrisinho.
Cala a boca.”
“Eu já estou calado.”
“Então não me estressa, já perdi minha paciência um número suficiente de vezes hoje.”
“Uau! Quer dizer que você tem paciência? Isso é uma grande novidade para mim.”
Depois dessa, fiz questão de me proteger com uma barreira mental, enquanto os carros começaram a mover-se lentamente. Isso já significava um bom começo, não é?
Teria suspirado aliviada, porém minutos depois meu carro havia parado novamente.
Ai que raiva! Se tivesse uma oportunidade nesse momento mataria o prefeito, por ser um idiota de tamanho maior devido a sua grande ideia de fazer obras na cidade em plena terça-feira as seis horas da tarde, quando todo mundo esta saindo do trabalho ou indo para a faculdade. Agora me pergunto, quem iria ter paciência em uma hora dessas? Ninguém!
Caleb iria, literalmente, me comer viva por culpa do atraso e sem direito a defesa.
- Paciência é uma virtude a ser conquistada. - falou Bryan retirando seus fones de ouvido.
- Já avisei para perder essa mania de ficar dentro da minha mente. - rosnei.
- Você sabe que pode construir uma barreira mental, não tenho culpa se esta distraída. Eu não posso simplesmente apertar um botão de pause.
- Eu sei, desculpa. É esse transito que me deixa maluca, se demorar mais vinte minutos , eles vão embora com o carregamento. Aí maninho, eu estarei ferrada.
- Quanto drama e você sabe que não é assim. O máximo que vai acontecer é o Conselho lhe chamar a atenção.
- Com o Caleb fazendo a entrega do material? Não, eu já estou considerando a ideia de que irei parar na forca e ser apedrejada.
- Tudo bem, como se isso fosse lhe matar.
- Não iria, mas a dor seria um incomodo pelo qual não desejo passar.
- Aposto que é mais fácil você mandar eles para aquele lugar onde o sol não bate. Eu te conheço o suficientemente bem para apostar que desapareceria sem deixar vestígios antes que pudessem pronunciar seu nome completo. - falou tranquilamente enquanto mexia no porta luvas do carro. - Imagine apenas a belezinha que você conquistou com os trabalhos. Quando querem e gostam os velhotes são bastante generosos. Você vai me emprestar aquela pequena maquina furiosa para mim dar uma volta, não é?
- Como se esse fosse um bom motivo para apagar o fato da desconfiança deles.
- Branka, mais uma vez isso. Você era praticamente uma criança na época, recém estava conhecendo realmente o nosso mundo em si.
- Diga isso ao Conselho e não a mim. - resmunguei irritada.
- Se não confiassem em ti já estaria morta e nem ao menos seria digna de um enterro.
- Chega! Vamos parar por aqui, antes que acabemos brigando. Esse assunto esta encerrado.
"Mas ainda é minha opinião", a voz de Bryan entrou em minha mente.
"Qual a parte do chega você ainda não entendeu?"
                          
- Nota da autora -
Ok! Antes de ler esse livro saiba que não somos os únicos a viver nesse planeta azul e não estou falando dos seres que conhecemos em nossas aulas de biologia e muito menos estamos no topo da cadeia alimentar. Se você tem uma visão romântica sobre o assunto em questão, sinto muito. Podemos não perceber, mas eles estão por toda parte. Nos protegendo, nos sugando, nos matando, nos com... Tudo bem! Vamos deixar isso para lá. 

Se vocês gostaram da historia e quiserem saber mais esse é o blog:

Beijos
Marri